De acordo com o Conselho de Transição, ex-ditador foi enterrado junto a seu filho em local não revelado no deserto do país

selo

Corpo de Kadafi ficou exposto ao público dentro de um contêiner refrigerado até ontem
Reuters
Corpo de Kadafi ficou exposto ao público dentro de um contêiner refrigerado até ontem
O corpo do ex-líder líbio Muamar Kadafi foi enterrado nesta terça-feira, segundo representantes do Conselho Nacional de Transição (CNT), que agora governa o país. Um porta-voz leu uma declaração dizendo que o funeral aconteceu nesta manhã e que o filho de Kadafi, Mutassim, foi enterrado com ele.

Guma Al Gamaty, integrante do CNT, confirmou à BBC que os corpos foram enterrados ao amanhecer em um local não revelado, possivelmente no deserto. Alguns familiares e autoridades teriam assistido à cerimônia, que ocorreu cinco dias após sua morte , contrariando a tradição muçulmana que requer que o enterro aconteça logo depois do falecimento.

Leia também: Saiba os relatos que indicam os últimos momentos de Kadafi

Até segunda-feira, os corpos do coronel Kadafi e de Mutassim, além do chefe do Exército, estavam em um contêiner refrigerado em Misrata , onde foram exibidos ao público. Segundo o correspondente da BBC Gabriel Gatehouse, guardas que faziam a segurança do local disseram que os corpos foram levados durante a noite depois que preces foram feitas.

As circunstâncias da morte do ex-líder líbio ainda não foram esclarecidas, mas as autoridades líbias anunciaram na segunda-feira que irão iniciar uma investigação . "Requisitamos, com base em pedidos vindos do exterior, que a morte de Kadafi seja investigada", disse o chefe do Conselho Nacional de Transição (CNT), Mustafa Abdel Jalil.

Julgamento

Imagens de Kadafi ainda com vida foram registradas por celulares pouco depois de sua captura. Acredita-se que logo depois ele tenha morrido em decorrência de ferimentos causados por tiros.

Após a morte do ex-líder líbio, entidades como a Comissão de Direitos Humanos da ONU, a Anistia Internacional e a ONG Human Rights Watch pediram investigações sobre suas circunstâncias.

Jalil disse que a maioria dos líbios desejava que Kadafi pudesse ser julgado para pagar por seus eventuais crimes.

"Líbios livres desejavam que Kadafi passasse o máximo de tempo possível na cadeia. Os que tinham interesse em uma morte rápida eram os que o apoiavam", afirmou.

Execuções

Também na segunda-feira, o grupo de defesa dos direitos humanos com sede em Nova York Human Rights Watch alertou contra "assassinatos, saques e outros abusos" que teriam sido cometidos por opositores de Kadafi.

As declarações foram feitas após a descoberta de 53 corpos em decomposição, aparentemente simpatizantes de Kadafi. Muitos pareceram ter sido executados.

O estado de deterioração dos corpos sugere que eles foram mortos entre os dias 15 e 19 de outubro. O CNT negou envolvimento nos abusos e pediu para que os líbios não cometam ataques ou vinganças contra opositores.

Moderação

Ainda nesta segunda-feira, Jalil reformulou declarações feitas no dia anterior de que a nova Líbia adotará leis baseadas na religião islâmica. "Quero assegurar a comunidade internacional de que nós somos muçulmanos moderados", disse ele.

No domingo, ele disse que a adoção de leis religiosas acarretaria mudança de algumas regras atuais, citando a proibição da poligamia.

"Minha referência de ontem não significa que aboliremos qualquer lei e quando falei das leis de casamento, elas foram apenas um exemplo, já que as regras islâmicas permitem a poligamia apenas após aprovação específica", disse ele.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.