Combatentes tribais derrubam avião e milhares protestam no Iêmen

Piloto é capturado depois de aeronave ser abatida fora da capital, onde dezenas de milhares pedem renúncia de presidente Saleh

iG São Paulo |

Dezenas de milhares protestaram em Sanaa, no Iêmen, nesta quarta-feira, contra o retorno do presidente Ali Abdullah Saleh da Arábia Saudita, enquanto combatentes tribais da oposição derrubaram um avião de combate da Força Aérea iemenita fora da capital e capturaram o piloto.

AP
Soldado iemenita desertor participa de manifestação pela renúncia de Ali Abdullah Saleh em Sanaa, capital do Iêmen
Uma fonte do Ministério da Defesa acusou o partido Reforma Islâmica, uma das principais legendas da oposição e braço político da Irmandade Muçulmana no Iêmen, de estar por trás do ataque à aeronave, um Sukhoi-22 de fabricação russa.

Carregando bandeiras e fazendo sinais de paz, os manifestantes pediam a saída de Saleh e marchavam a partir da Praça da Mudança gritando "Morte, morte". "A questão é, se não podemos viver uma vida decente e digna, preferimos morrer", afirmou Khaled al-Mandi.

Os manifestantes disseram estar cansados da crescente pobreza, corrupção e falta de lei em um país onde duas em cada três pessoas sobrevivem com menos de US$ 2 por dia.

O retorno de Saleh enfureceu muitos cidadãos que acreditavam terem visto o líder pela última vez quando uma tentativa de assassinato em junho o forçou a voar para a vizinha Arábia Saudita em busca de tratamento médico. Mas ele retornou a Sanaa na sexta-feira "carregando a pomba da paz e o galho de oliveira".

Antes do retorno dele, manifestantes tentando expandir o acampamento precário em Sanaa foram pegos em uma batalha entre forças de Saleh e soldados leais a um general dissidente. Os confrontos deixaram ao menos 100 mortos, principalmente manifestantes.

Embora a violência tenha diminuído desde o retorno de Saleh, as tensões ainda estão elevadas e muitos temem que a calmaria eventualmente dará lugar a um confronto ainda mais sangrento ou uma guerra civil. Na terça-feira, organizadores dos protestos tentaram aumentar o número de manifestantes planejando rotas menos arriscadas pela capital, depois que a violência acabou afastando alguns das ruas.

A Arábia Saudita e os EUA apoiaram Saleh no passado para conter um braço ativo da Al-Qaeda que se enraizou no Iêmen, mas a crescente falta de leis causa temores de uma guerra civil que pode sacudir uma das nações que mais produzem petróleo no mundo.

Fora de Sanaa, homens tribais derrubaram um avião de guerra a tiros e capturaram o piloto na região montanhosa de Naham, onde a força aérea bombardeava combatentes tribais armados da oposição, disse uma fonte tribal.

Uma autoridade militar disse que o avião foi derrubado quando realizava uma missão de rotina. A fonte tribal informou que os homens atacaram o jato com armas antiaéreas e prenderam o piloto, que havia sobrevivido.

O avião, que ficou totalmente destruído, tinha decolado da base militar de Dailami, perto do aeroporto da capital, antes de cair dez minutos depois na área de Beit al Daguish, na região de Arhab. Mais cedo nesta semana, um general e três homens tribais foram mortos em um confronto na base militar em Naham. 

Desde janeiro o Iêmen vive uma revolta popular para reivindicar reformas e a queda de Saleh, em um processo que já deixou centenas de mortos e milhares de feridos.

*Com Reuters, AFP e EFE

    Leia tudo sobre: iêmenmundo árabesaleh

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG