Com emissários, Kadafi faz ofensiva diplomática na Europa e Egito

Representantes líbios visitam Cairo, Malta e Portugal e vão a Bruxelas, onde União Europeia e Otan farão reuniões sobre crise

iG São Paulo |

Representantes do governo líbio viajaram a Bruxelas para conversar com autoridades europeias e da Organização do Atlântico Norte (Otan) que se reúnem na quinta e sexta-feira, informou nesta quarta-feira o ministro das Relações Exteriores italiano, Franco Frattini.

"Dois aviões do regime líbio parecem ter deixado a Líbia rumo a Bruxelas com a intenção de permitir que emissários de Kadafi se reúnam com representantes que participarão das reuniões da União Europeia e da Otan amanhã e depois", disse Frattini. Mas a porta-voz da Otan, Oana Lungescu, disse que a organização não planeja se reunir com representantes de Kadafi. "Não temos planos nem intenções de manter reuniões com representantes dele", afirmou.

As declarações do chanceler italiano, durante audiência numa comissão parlamentar, foram feitas depois de terem sido divulgadas informações de que um emissário de Kadafi foi ao Cairo com uma mensagem do líder líbio Muamar Kadafi. Segundo a imprensa local, a visita teve o objetivo de persuadir o Egito a não apoiar a criação de uma zona de exclusão aérea sobre a Líbia, medida que impediria o uso de aviões de guerra pelo regime de Kadafi para bombardear posições rebeldes.

O ministro italiano afirmou também que as visitas ao Cairo e a Bruxelas sugerem que a situação estaria muito fluida e alertou contra a tomada de qualquer ação que possa ser prematura. "Não sei o que será dito no Cairo, não sei quem se reunirá com quem em Bruxelas, mas esses movimentos são um fato que temos de levar em conta", afirmou.

Mais cedo, o emissário do regime líbio Mohamed Taher Siyala fez uma escala em Malta nesta quarta-feira para conversar com autoridades locais antes de seguir viagem para Portugal.  Segundo um breve comunicado oficial, Siyala, subsecretário de Cooperação Internacional, parou em Malta "para explicar a posição do governo líbio em relação aos recentes eventos" ao primeiro-ministro maltês, Lawrence Gonzi.

Em Portugal, Siyala se reuniu com o ministro de Negócios Estrangeiros português, Luis Amado, cujo país foi eleito para presidir o Comitê de Sanções das Nações Unidas contra o país norte-africano. O gabinete de Amado informou que aceitou recebê-lo a pedido de Kadafi e em consulta com a chefe da diplomacia europeia, Catherine Ashton.

A movimentação diplomática de Kadafi acontece quando o conflito chega ao 23º dia, com ataques nas cidades de Ras Lanuf e Zawiya .

Representantes da oposição

Por sua vez, Catherine reuniu-se em Estrasburgo, durante uma sessão do Parlamento Europeu, com representantes do Conselho Nacional criado pelos insurgentes em Benghazi, epicentro dos protestos e reduto da oposição no leste da Líbia. Segundo um porta-voz, "ela não tem a intenção de se encontrar com membros do regime de Kadafi".

Na quinta-feira, os representantes do Conselho Nacional devem ser recebidos pelo presidente francês, Nicolas Sarkozy, no Palácio do Eliseu. A Presidência francesa informou que Sarkozy se reunirá com Mahmoud Jibril e Ali Essaui, representantes de assuntos internacionais do grupo. O governo também afirmou que o encontro servirá para abordar "a situação geral na Líbia, em particular aspectos humanitários, e a ação do conselho".

Um dia antes, o ministro francês de Relações Exteriores, Alain Juppé, conversou por telefone com Abdel Fatah Younes, do mesmo conselho, abordando o apoio de Paris à criação de uma zona de exclusão aérea na Líbia em associação com outros países.

Kadafi criticou a posição adotada pela França nos últimos dias a respeito de seu regime. Em entrevista gravada na noite de terça-feira pela rede de televisão francesa LCI, o líder líbio denunciou que os países ocidentais "querem colonizar a Líbia novamente", citando particularmente Estados Unidos, Reino Unido e França.

*Com Reuters, AFP e Reuters

    Leia tudo sobre: líbiakadafimundo árabetrípolieuaonuotan

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG