Cinegrafista da Al Jazeera morre em emboscada na Líbia

Milicianos se deslocaram para o prédio onde está base de operações da emissora, que abriga vários correspondentes estrangeiros

EFE |

O cinegrafista da emissora Al Jazeera, Ali Hassan al Jaber, morreu e outro membro a equipe de reportagem ficou ferido em uma emboscada perto de Benghazi, informou uma correspondente da cadeia catariana. A equipe de televisão tinha acabado de cobrir uma manifestação de apoio à revolução quando sofreu uma emboscada em uma cidade a cerca de 25 quilômetros de Benghazi.

Eles foram atingidos por disparos por volta das 16 horas no horário local (11 horas de Brasília) de um veículo que estava seguindo a equipe. Al Jaber, de nacionalidade catariana, foi levado rapidamente a um hospital próximo, mas morreu antes de ser atendido. O homem que ficou ferido foi atingido na cabeça, mas seu estado não é grave, segundo fontes da emissora em Benghazi.

Vários milicianos armados se deslocaram ao edifício onde se encontra a base de operações da Al Jazeera para proteger o prédio, onde estão correspondentes de diversos veículos de comunicação. O diretor-geral da emissora, Wadah Khanfar, disse em comunicado que este ataque não fará com que a emissora se cale e que fará com que os responsáveis sejam levados à Justiça. Khanfar acrescentou que este ataque se produz após uma "campanha sem precedentes" contra a Al Jazeera por parte do regime do líder líbio, Muammar Kadafi.

    Leia tudo sobre: líbiaMuammar kadafirevoltamundo árabe

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG