Avião turco não aterrissa na Líbia por causa de protestos

Segundo emissora local, pilotos não conseguiram entrar em contato com a autoridade de aviação civil e voltaram para a Turquia

iG São Paulo |

Um avião enviado pelo governo de Ancara à cidade de Benghazi, na Líbia, para repatriar os cidadãos turcos no país não conseguiu aterrissar no aeroporto local nesta segunda-feira.

Segundo a emissora NTV, os pilotos da aeronave da Turkish Airlines não conseguiram entrar em contato com a autoridade de aviação civil no aeroporto, e se viram obrigados a retornar à Turquia. A rede CNN afirmou que o aeroporto está controlado pelos opositores que desde a semana passada protestam contra o líder da Líbia, Muamar Kadafi.

No entanto, a agência Associated Press afirmou que a própria autoridade de aviação civil do aeroporto orientou os pilotos turcos a voltar para Ancara. A agência não explicou o motivo da orientação.

O governo turco, que criou um centro de crise para obter informações sobre seus cidadãos nos países afetados pelas revoltas, enviará dois navios para retirar seus cidadãos da Líbia. Durante o fim de semana, 581 turcos foram retirados da Líbia. "O primeiro-ministro (Recep Tayyip) Erdogan falou duas vezes com Kadafi, que lhe assegurou que faria tudo para garantir a segurança e a vida dos cidadãos turcos na Líbia", explicou nesta segunda-feira o ministro turco de Estado, Zafer Çaglayan.

Os testemunhos dos turcos na Líbia descrevem uma situação de caos na qual as forças opositoras ao regime assumiram o controle de grandes cidades. "Os opositores não nos deixam sair. Estamos em nosso local de trabalho e alguns escritórios foram queimados. Há dois dias não temos comida. A água quase acabou e também o combustível", explicou o turco Ferhat Karsli, que está na cidade líbia de Jalu, a cerca de 400 quilômetros ao sul de Benghazi.

Com EFE e AP

    Leia tudo sobre: líbiakadafimundo árabeprotestos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG