Autoridades italianas socorrem mais de 430 imigrantes no mar

Guarda de Finanças e Litorânea resgatou embarcação procedente do norte da África. Destino era a ilha italiana de Lampedusa

EFE |

As autoridades policiais e militares da Itália socorreram nas últimas horas mais de 430 imigrantes que viajavam em uma embarcação procedente do norte da África com destino à ilha italiana de Lampedusa. Segundo a Capitania dos Portos de Lampedusa, acredita-se que o navio procedia da Líbia, e em seu resgate trabalharam várias patrulhas da Guarda de Finanças e Litorânea de Lampedusa, assim como uma embarcação da Marinha.

A bordo de patrulhas da Guarda de Finanças e Litorânea chegaram a Lampedusa na madrugada deste sábado os primeiros 311 imigrantes ilegais, entre os quais há 53 mulheres e oito crianças, enquanto o restante fez o mesmo a bordo do navio da Marinha no início desta manhã.

O jornal italiano  La Repubblica informou em seu site que a embarcação tinha uma fenda que deixava a água entrar, pelo que seus ocupantes emitiram um sinal de alerta às autoridades de Lampedusa quando estavam a 50 milhas da ilha italiana. Um dos imigrantes, aparentando ter 30 anos, teve de ser levado imediatamente a um centro médico de Lampedusa após chegar a terra com um ferimento no abdômen, produzido por uma facada recebida durante a travessia.

Estas novas chegadas de imigrantes acontecem em momento em que ainda segue viva na Itália a polêmica pela suposta recusa de socorro por parte de uma embarcação da Otan a um navio com mais de 300 imigrantes em águas líbias. Segundo testemunhos de alguns ocupantes, muitas dessas pessoas morreram e foram lançadas ao mar.

Na sexta-feira, o ministro das Relações Exteriores da Itália, Franco Frattini, pediu explicações à Otan sobre o que aconteceu com a embarcação, que, segundo seus ocupantes, poucas horas após sair da Líbia, há uma semana, ficou à deriva depois de uma avaria no motor.

Segundo os mesmos testemunhos, na quarta-feira passada o navio cruzou com um rebocador cipriota que lançou mantimentos e balsas de salvamento para eles, além de ter enviado sinais de ajuda às autoridades da zona, encontrando uma suposta recusa por parte de uma embarcação da Otan.

Na quinta-feira, o navio foi rebocado a Lampedusa por patrulhas da Guarda Litorânea italiana. Ontem uma embarcação disponibilizada pelas autoridades italianas com 1.162 pessoas sem documentação a bordo zarpou de Lampedusa rumo a outros pontos da Itália.

    Leia tudo sobre: lampedusaitáliaresgaterefugiadosmundo árabe

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG