Autoridade do Níger diz que filho de Kadafi se dirige ao país

Apontado como herdeiro do líder deposto da Líbia, Saif al-Islam é alvo de mandado de prisão internacional emitido pelo TPI

iG São Paulo |

AFP
Saif al-Islam é visto como o herdeiro do regime de Kadafi (26/2)
Uma autoridade do Níger afirmou nesta terça-feira que Saif al-Islam Kadafi , filho do líder deposto da Líbia, Muamar Kadafi , se dirige ao país.

Kadafi foi morto na cidade líbia de Sirte na quinta-feira, mas não há informações confirmadas sobre o paradeiro de Saif, apontado como seu sucessor.

De acordo com Rissa ag Boula, um conselheiro do presidente do Níger e representante da cidade de Agadez, membros da comunidade tuaregue (que apoiava Kadafi e vive no deserto do Saara nos dois lados da fronteira) estão guiando o filho de Kadafi pelo deserto para que ele deixe a Líbia, passe pela Argélia e chegue ao Níger.

“Se ele vier para o Níger, o governo vai aceitá-lo, mas também terá de respeitar seus deveres internacionais”, afirmou Boula, fazendo referência ao mandado de prisão contra Saif emitido pelo Tribunal Penal Internacional (TPI).

Leia também: Saiba os relatos que indicam os últimos momentos de Kadafi

Em agosto, quando rebeldes líbios tomaram a capital, Trípoli, chegaram a anunciar a captura de Saif. Mas ele apareceu um dia depois do lado de fora de um hotel.

Em setembro, o irmão de Saif, Saadi, e mais de 30 partidários de Kadafi fugiram da Líbia e abrigaram-se no Níger . Saadi Kadafi foi colocado sob prisão domiciliar junto com autoridades de alto escalão do regime de Kadafi que fugiram para o Níger. Os demais partidários estão sendo monitorados mas não estão presos, segundo o governo.

A mulher do líder deposto, assim como três de seus filhos - Aisha, Muhammad e Hannibal - fugiram para a Argélia em agosto. Outros filhos de Kadafi, Khamis e Mutassim, foram mortos na Líbia.

O corpo de Mutassim foi enterrado nesta terça-feira assim como o do pai, segundo representantes do Conselho Nacional de Transição (CNT), que agora governa o país.

Guma Al Gamaty, integrante do CNT, afirmou à BBC que os corpos foram enterrados ao amanhecer em um local não revelado, possivelmente no deserto. Alguns familiares e autoridades teriam assistido à cerimônia, que ocorreu cinco dias após sua morte, contrariando a tradição muçulmana que requer que o enterro aconteça logo depois do falecimento.

Até segunda-feira, os corpos do coronel Kadafi e de Mutassim, além do chefe do Exército, estavam em um contêiner refrigerado em Misrata, onde foram exibidos ao público. Guardas que faziam a segurança do local disseram que os corpos foram levados durante a noite depois que preces foram feitas.

As circunstâncias da morte do ex-líder líbio ainda não foram esclarecidas, mas as autoridades líbias anunciaram na segunda-feira que irão iniciar uma investigação. "Requisitamos, com base em pedidos vindos do exterior, que a morte de Kadafi seja investigada", disse o chefe do Conselho Nacional de Transição (CNT), Mustafa Abdel Jalil.

Com AP e BBC

    Leia tudo sobre: morte de kadafikadafisaif al-islamlíbiamundo árabe

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG