Ativista Moncef Marzouki é eleito presidente da Tunísia

Do partido Congresso para a República, Marzouki foi eleito com o apoio de 153 dos 202 parlamentares presentes na Assembleia

iG São Paulo |

A Assembleia Nacional Constituinte da Tunísia elegeu nesta segunda-feira Moncef Marzouki, um ex-ativista dos direitos humanos e um líder da oposição, como o presidente do país, em uma votação em que só ele concorreu. Marzouki vem do partido secular de centro-esquerda Congresso para a República, que ficou em segundo lugar nas eleições parlamentares .

Leia também: Assembleia Constituinte da Tunísia tem primeira sessão histórica

Reuters
Ex-ativista Moncef Marzouki acena para a mídia na Assembleia Constituinte em Túnis, na Tunísia

O novo presidente, que deverá renunciar à sua militância política, contava com o respaldo de seu partido e o de outras duas forças majoritárias na Assembleia, o movimento islâmico Ennahda e o partido Atakatol.

Ele passou duas décadas no exílio em Paris antes de voltar à Tunísia em janeiro, dias depois da queda do então presidente Zine al-Abidine Ben Ali, o primeiro presidente a sofrer as consequências das revoltas que varreram países do Oriente Médio e do norte da África, chamadas de Primavera Árabe . O partido de Marzouki foi banido no governo de Ben Ali.

Após sua nomeação, Marzouki pronunciou um breve discurso no qual agradeceu ao apoio dos legisladores que qualificou como "um apoio ao Estado, ao Parlamento e à Revolução". "A confiança é o que distingue a nobreza do ser humano" disse o novo presidente, que insistiu que a democracia "não é uma questão de maioria ou minoria, mas de confiança".

Marzouki foi eleito com o apoio de 153 dos 202 parlamentares presentes, enquanto três votaram contra, 44 em branco e dois se abstiveram. Outras oito pessoas tentaram se apresentar à eleição, mas não conseguiram o apoio mínimo necessário de 15 membros da câmara legislativa.

Um oitavo candidato, que cumpria o requisito das 15 assinaturas, não possuía a idade mínima, 35 anos, segundo estipula a "mini constituição" de 26 artigos aprovada na noite de sábado pela Assembleia.

O corpo do governo foi eleito em outubro para elaborar uma nova Constituição e nomear um governo de transição.

Uma das primeiras tarefas de Marzouki será nomear formalmente Hamadi Jebali, do partido moderado islâmico Ennahda, como primeiro-ministro.

Com BBC e EFE

    Leia tudo sobre: tunísiamarzoukiben aliassembleia constituintegovernomundo árabe

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG