Ataque aéreo da Otan mata rebeldes e civis na Líbia

A emissora "Al Jazeera" informou que aviões de combate teriam causado a morte de 30 rebeldes líbios em Ajdabiya e Brega

EFE |

Um ataque aéreo das forças aliadas matou um grupo de rebeldes e alguns civis na Líbia, onde neste sábado continuaram os enfrentamentos em diferentes pontos do país, sobretudo na cidade de Brega, que é disputada por forças leais e opositoras ao líder líbio, Muammar Kadafi.

A emissora "Al Jazeera" informou que aviões de combate da Organização do Tratado do Atlântico Norte realizaram bombardeios de madrugada, que teriam causado a morte de 30 rebeldes líbios em Ajdabiya e Brega.

Esta última cidade foi parcialmente retomada pelas forças rebeldes, que dizem controlar o porto petrolífero, assim como a parte leste da cidade, enquanto os seguidores de Kadafi se concentraram na parte oeste.

Pelo menos 17 rebeldes morreram nos bombardeios em Brega, ao leste de Trípoli, segundo o relato do correspondente da emissora, que afirmou ter visto os corpos.

Segundo ele, os mortos estavam em veículos quando foram surpreendidos, por engano, por aviões da Otan que bombardeavam posições das forças leais a Kadafi na região de Brega.

De acordo com as versões de alguns rebeldes recolhidas por diferentes meios de comunicação, manifestações de alegria de alguns insurgentes de uma bateria antiaérea teriam confundido os pilotos.

Além dos rebeldes, nos bombardeios morreram dezenas de partidários de Kadafi, cujos corpos se encontravam espalhados pelas ruas dessa cidade, especialmente nas proximidades do hospital, segundo as mesmas fontes.

A emissora tinha informado previamente que os bombardeios aliados tinham causado a morte de 13 rebeldes em Ajdabiya, além de ter deixado sete feridos, que foram atingidos em seus veículos.

A Otan disse de Bruxelas que estava comprovando essas informações: "Sempre nos preocupam as informações sobre as baixas de civis.

A missão da Otan é para proteger civis da ameaça de um ataque", explicou a porta-voz da organização, Oana Lungescu.

A Otan não tem soldados no terreno, por isso que a maneira de verificar a possível responsabilidade dos aviões aliados é examinar a localização dos mesmos e se lançaram algum míssil no momento em que se produziram as supostas vítimas.

Além disso, dois navios foram detidos para que informassem sobre seu destino e carga, dentro das operações navais de controle do embargo de armas e mercenários, embora não tenha sido necessário realizar abordagens, acrescentou a Otan em comunicado.

As operações militares ao amparo da resolução 1973 das Nações Unidas correm paralelas às gestões e ações diplomáticas na busca de uma saída ao conflito.

Enquanto aumentam os rumores sobre as deserções do regime líbio, meios de comunicação britânicos informavam neste sábado sobre a existência de uma oferta por parte de emissários líbios para que o filho de Kadafi Saif al Islam pudesse em um determinado momento substituir seu pai.

No entanto, Kadafi mantém suas posições inalteradas e na sexta-feira rejeitou de forma taxativa as condições dos rebeldes para um eventual cessar-fogo.

    Leia tudo sobre: LÍBIAATAQUE (pauta)

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG