Americanos funcionários de ONGs deixam o Egito após pagar fiança

Estrangeiros foram acusados de receber fundos ilegais e fomentar protestos contra o governo; tensão colocou em risco ajuda dos EUA ao país árabe

iG São Paulo |

Quinze funcionários estrangeiros de organizações não-governamentais, incluindo sete americanos , deixaram nesta quinta-feira o Egito, depois de pagar fiança. Os funcionários de ONGs sofriam processo no Egito, onde eram acusados de receber fundos ilegais para fomentar processos contra o governo.

AP
Funcionários de ONGs seguem para julgamento no Cairo (26/2)
Os americanos, de acordo com autoridades egípcias, deixaram a capital Cairo por avião após os Estados Unidos terem pago cerca de US$ 5 milhões (R$ 8,5 milhões) em fiança.

Tensão: Egito julgará mais de 40 acusados de financiamento ilegal de ONGs

Além de pagar a fiança dos sete funcionários que deixaram o Egito, a quantia depositada, de acordo com fontes da Justiça egípcia, diz respeito também às fianças de outros nove americanos também acusados no caso, que já haviam deixado o país árabe.

Transporte

Um comboio de vans brancas com o símbolo da Embaixada americana no Cairo levou os sete americanos, incluindo Sam Lahood, filho do secretário de Transportes dos EUA, Ray Lahood - responsável pelo Instituto Internacional Republicano no Cairo.

Desde o anúncio da sentença, os funcionários americanos ficaram refugiados na embaixada americana, temendo ser presos por forças egípcias.

O Egito suspendeu na quarta-feira a proibição de viagens para os americanos funcionários de organizações não-governamentais. A mudança marcou o fim da pior crise nas relações entre o Egito e os Estados Unidos em 30 anos .

A tensão colocou em risco a ajuda anual de US$ 1,5 bilhão (R$ 2,55 bilhões) dos EUA para o Egito e resultou em intensa negociação nos bastidores dos dois países em busca de uma saída.

*Com AP

    Leia tudo sobre: egitoongsamericanoseua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG