Pelo terceiro dia consecutivo, Damasco joga 'barris de bombas' em áreas civis, deixando mais de cem mortos

Os hospitais já danificados da cidade síria de Aleppo, no norte do país, estão sobrecarregados por uma onda de ataques aéreos que deixaram mais de cem mortos e muitos outros feridos, disse a organização Médico Sem Fronteiras nesta terça-feira.

Conheça a home do Último Segundo

Drama: Pão encarece 500% e vira símbolo da crise humanitária na Síria

Fumaça sai de veículos em chamas depois de ataque do governo sírio em Aleppo (15/12)
AP
Fumaça sai de veículos em chamas depois de ataque do governo sírio em Aleppo (15/12)

US$ 6,5 bilhões: ONU faz apelo recorde para crise na Síria em 2014

Ataques indiscriminados e ataques lançados por aeronaves do governo causaram danos significativos em áreas povoadas por civis, alertou a organização. Corpos estão enfileirados em frente de hospitais para serem coletados pelos parentes.

Segundo os Médicos Sem Fronteira, helicópteros do Exército sírio jogaram "barris de bombas" pelo terceiro dia consecutivo nesta terça-feira.

Refugiados sírios: Anistia critica Europa por resposta 'vergonhosa' a crise

Sírio chora enquanto carrega corpo de criança morta após ataque aéreo de governo contra Aleppo (15/12)
AP
Sírio chora enquanto carrega corpo de criança morta após ataque aéreo de governo contra Aleppo (15/12)

"Nos últimos três dias, os helicópteros têm alvejado diferentes áreas, entre elas uma escola e a rotatória Haydarya, onde as pessoas aguardam os veículos do transporte público", disse o coordenador do MSF na Síria, Aitor Zabalgogeazkoa.

"Os ataques repetidos muitas vezes levam ao caos, tornando mais difícil o tratamento dos feridos e aumentando, assim, o número de mortos", disse em comunicado.

Efeitos: Refugiados sírios pressionam tecido social e econômico de vizinhos

As forças de segurança do presidente sírio, Bashar al-Assad, mobilizam com frequência o poder aéreo e de artilharia contra zonas controladas pelos rebeldes em toda a Síria.

O governo não tem conseguido recuperar o leste e o centro de Aleppo, áreas tomadas pelos rebeldes no ano passado, mas tem expulsado combatentes de outras cidades a sudeste de Aleppo nas últimas semanas.

O Observatório Sírio para os Direitos Humanos, que na segunda-feira afirmou que o número de mortos por barris de bombas em Aleppo chegou a 76 no domingo, afirmou que 15 pessoas, incluindo duas crianças, morreram em ataques aéreos de caças no distrito de Shaar, em Aleppo, nesta terça-feira.

O grupo, com sede no Reino Unido, não disse se as mortes foram causadas por barris de bombas, que são cilindros cheios de explosivos ou de petróleo, muitas vezes jogados da parte de trás de helicópteros e capazes de causar mortes generalizadas e danos significativos.

Veja imagens do conflito na Síria desde o início deste ano:

*Com Reuters e BBC

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.