Governo egípcio diz que embaixador apoia 'organizações não identificadas que buscam a instabilidade' do País

Reuters

O Egito informou que pediu para o embaixador da Turquia deixar o país e acusou Ancara de apoiar organizações não identificadas que buscam a instabilidade, no que parece ser uma referência à Irmandade Muçulmana do deposto presidente Mohamed Mursi.

Conheça a home do Último Segundo

A frente:  Líder interino do Egito diz a jornal que não disputará presidência em 2014

Perfil: Adly Mansour, que assumiu como presidente interino do Egito

Membros da Irmandade Muçulmana e partidários de Mohammed Morsi fogem do gás lacrimogêneo durante confrontos em praça que leva à praça Rabba el-Adwia, Cairo (14/8/13)
Reuters
Membros da Irmandade Muçulmana e partidários de Mohammed Morsi fogem do gás lacrimogêneo durante confrontos em praça que leva à praça Rabba el-Adwia, Cairo (14/8/13)

A Turquia estava "tentando influenciar a opinião pública contra os interesses egípcios, apoiando reuniões de organizações que buscam criar instabilidade no país", disse no sábado o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores Badr Abdelatty.

A Turquia tem sido uma das mais duras críticas internacionais à deposição de Mursi, classificando a ação como um "golpe inaceitável". A Irmandade Muçulmana de Mursi tem relações próximas ao partido governista turco AK.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.