Quatro dos sete agentes da Cruz Vermelha sequestrados na Síria são libertados

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Segundo porta-voz, funcionários de órgãos humanitários estão em segurança; captura ocorreu no domingo em Idlib

Autoridades afirmaram nesta segunda-feira (14) que um voluntário do Crescente Vermelho Árabe e três dos seis funcionários da Cruz Vermelha feitos reféns na Síria foram libertados e estão em segurança.

Conheça nova home do Último Segundo

AP
Crianças sírias desabrigadas brincam do lado de fora de acampamento temporário na província de Idlib

Robert Mardini, chefe das operações do Comitê Internacional da Cruz Vermelha para o Oriente Médio, afirmou no Twitter que os quatro foram liberados em segurança. O escritório do Comitê Internacional da Cruz Vermelha em Genebra confirmou a informação.

No domingo: Grupo armado sequestra funcionários da Cruz Vermelha na Síria

Idlib: Explosão de carro-bomba em reduto rebelde mata ao menos 15

No domingo, um grupo armado sequestrou os sete funcionários de agências humanitárias no noroeste da Síria depois de abrir fogo contra seus veículos. Os membros da Cruz Vermelha estavam viajando na região de Idlib quando o grupo armado bloqueou o caminho e disparou contra o comboio. Os funcionários da organização humanitária foram levados a um local desconhecido.

Sequestros de estrangeiros, bem como explosões com carros-bomba, se tornaram cada vez mais comuns no norte da Síria, onde rebeldes têm capturado porções do território, mas forças do governo têm respondido aos avanços em muitos centros urbanos e combates continuam diariamente.

Human Rights Watch: Rebeldes sírios cometeram crimes de guerra

MSF: Brasileiras desafiam guerra na Síria para cuidar de civis necessitados

Chanceler na ONU : 'Não há guerra civil na Síria'

Nesta segunda-feira, ao menos 15 foram mortos em um ataque com carro-bomba também na província de Idlib. No domingo, dois carros-bomba explodiram próximo ao prédio da TV estatal em Damasco. A agência de notícias Sana disse que a sede da TV na Praça Umayyad foi danificada no ataque, mas que não houve mortes.

O conflito na Síria, que já dura dois anos e meio, causou a morte de mais de 100 mil pessoas.

Com AP e Reuters

Leia tudo sobre: síriamundo árabeprimavera árabecruz vermelha

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas