Mulheres que dirigem correm risco de danificar ovários, diz clérigo saudita

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Campanha no reino islâmico programa uma carreata em outubro como desafio à proibição de mulheres ao volante

Reuters

Um clérigo saudita mais conservador afirmou que mulheres que dirigem correm o risco de prejudicar seus ovários e gerar filhos com problemas clínicos, contrariando ativistas que tentam por fim às regras estabelecidas no reino islâmico chefiado apenas por homens.

Saiba mais sobre as mulheres no mundo árabe e muçulmano

Uma campanha pedindo que as mulheres desafiem a proibição em uma carreata em outubro espalhou-se rapidamente pela web na última semana e ganhou o apoio de proeminentes ativistas.

O site da campanha foi bloqueado neste domingo dentro do reino.

Em entrevista publicada na sexta-feira no site sabq.org, Sheikh Saleh bin Saad al-Lohaidan afirmou que mulheres com o objetivo de derrubar a proibição devem colocar a "razão acima de seus corações, emoções e paixões".

Seus comentários refletem o tamanho da oposição, entre alguns conservadores dentro da Arábia Saudita, a que as mulheres possam dirigir.

"Se uma mulher dirige um carro, não por pura necessidade, isso pode ter impactos fisiológicos, enquanto estudos médicos funcionais e fisiológicos apontam que isso automaticamente afeta os ovários e empurra a pélvis para cima", disse ao Sabq, sem citar estudos específicos para apoiar seus argumentos.

(Reportagem de Angus McDowall)

Leia tudo sobre: mulheresarábia saudita

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas