Islamitas aceitam deixar poder na Tunísia

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Negociações podem formar uma administração interina e preparar o País para eleições

Reuters

O governo islamita da Tunísia aceitou renunciar depois de negociações que podem começar na próxima semana com a oposição secular para formar uma administração interina e preparar o país para eleições, disse no sábado uma importante autoridade do partido governista.

Reuters
Manifestantes seguram cartazes com a foto do lider de oposição Mohamed Brahmi durante protestos contra o governo

As negociações visam encerrar semanas de crise envolvendo a coalizão governista liderara pelos islamitas e os partidos de oposição secular que ameaça implodir a transição para a democracia no país do norte da África, onde a chamada Primavera Árabe começou em 2011.

A poderosa central sindical do país UGTT, mediando entre os dois lados, propôs que o partido governista islamita Ennahda participe de três semanas de negociações, depois das quais ele deixaria o governo para que uma administração transitória independente assuma e defina uma data para eleições.

"O diálogo começará na segunda ou terça-feira", disse Lotfi Zitoun, uma autoridade do partido. "O Ennahda aceitou o plano sem condições, para tirar o país da crise política."

A central sindical confirmou o acordo e pediu que os dois lados definam um momento para começar as negociações na próxima semanas.

(Reportagem de Tarek Amara)

Leia tudo sobre: MANCHETESTUNISIAACORDOISLAMITAS

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas