Fuga em massa ocorreu enquanto manifestantes invadiam sedes de partidos políticos por todo o país

AP

Ainda não se sabe se a fuga em massa em prisão libanesa tem relação com os protestos contra a morte do ativista Abdul-Salam Al-Musmari
Reuters
Ainda não se sabe se a fuga em massa em prisão libanesa tem relação com os protestos contra a morte do ativista Abdul-Salam Al-Musmari

Mais de 1.000 detentos escaparam de uma prisão perto da cidade libanesa de Benghazi em uma fuga em massa neste sábado (27), segundo autoridades, enquanto manifestantes invadiram sedes de partidos políticos nas principais cidades da Líbia.

Não está totalmente claro se a fuga na prisão de aL-Kweifiya está relacionada com os protestos contra a morte do ativista Abdul-Salam Al-Musmari, que constantemente criticava a Irmandade Mulçumana. Homens armados atiraram para cima quando os detentos começaram a atear fogo, o que pode sugerir que a fuga foi planejada, de acordo com um oficial de Banghazi. Os presos que escaparam foram condenados por crimes graves, segundo um agente de segurança do AL-Kweifiya. Os dois oficiais não quiseram se identificar.

Veja também: Políticos de oposição na Tunísia foram mortos com a mesma arma, diz ministro

De acordo com Mohammed Hejazi, agente de segurança do governo em Benghazi, as forças especiais do país já prenderam 18 dos foragidos, enquanto alguns retornaram por conta própria para a prisão. Outros três sofreram ferimentos durante a fuga e foram levados ao hospital local.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.