Exército da Síria lança ofensiva em Homs com apoio de aviões

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Cidade é reduto rebelde desde início da revolta contra Assad; conflitos e disparos de morteiros são registrados

Aviões de guerra da Síria bombardearam bairros controlados por rebeldes na cidade de Homs neste sábado (29) como parte de uma campanha militar contínua contra combatentes da oposição no coração da maior cidade do país, segundo informaram ativistas.

O Exército do presidente sírio, Bashar al-Assad, vem realizando nas últimas semanas uma ofensiva para tentar capturar territórios perdidos para os rebeldes no ano passado.

5 de junho: Exército da Síria anuncia recaptura de cidade estratégica

AP
Síria observa os destroços de prédios destruídos por bombardeios das forças sírias no bairro de al-Hamidiyyeh, Homs

US$ 5,2 bi: Guerra da Síria faz ONU lançar maior apelo humanitário

O Exército, que conseguiu recuperar a estratégica cidade de Qusair, entre a fronteira do Líbano e Homsat, no início do mês, voltou a dominar uma série de vilarejos próximos. As tropas de Assad também concentraram esforços no centro da cidade, um reduto rebelde desde que a revolta contra o regime sírio teve início em março de 2011.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH), rede ativista com base no Reino Unido, informou que ataques aéreos atingiram dois distritos no centro de Homs. Também afirmou que o Exército disparou morteiros nos bairros.

NYT: Sedentos por armas, rebeldes sírios fabricam morteiros improvisados

Aliada: Líderes do G8 pressionam Rússia sobre conflito na Síria

Um ativista que estava em um desses bairros, Khaldiya, disse que tanques estavam sendo usados na ofensiva, e que o Exército tentava entrar na região por todos os lados.

Os disparos foram contínuos desde às 10h (horário local) na região e próximo à cidade velha de Homs, disse Tariq Bardakhan à agência AP via Skype. "Hoje é um dos dias mais violentos que Homs testemunhou desde o início da revolução", disse.

Mais: Obama autoriza envio de ajuda militar a rebeldes sírios

Síria: EUA confirmam uso de armas químicas por forças de Assad

Em um vídeo feito por ativistas do bombardeio, uma série de explosões podem ser ouvidas enquanto uma nuvem de fumaça cinza encobre toda a região da cidade. Também são mostrados confrontos perto de uma mesquita. O narrator do vídeo diz: "Pesadas explosões atingem Homs, Deus é grande." 

O Observatório confirmou que houve conflitos que ocorreram em volta de uma mesquita em Khaldiya. Parte da construção, que remonta ao século 13, foi danificada. O Observatório também afirmou que ambos os lados sofreram perdas, mas não deu números de mortos ou feridos. A TV estatal síria informou que o Exército teve "grande sucesso" na batalha por Homs após "matar muitos terroristas no distrito de Khaldiya".

Violência: Nº de mortos em conflito na Síria chega a 93 mil, diz ONU

A mídia estatal do país se refere aos rebeldes que lutam contra Assad como "terroristas" e mercenários dos países do Ocidente e do Golfo que conspiram contra Damasco. 

Segundo o Observatório, mais de 100 mil foram mortos no conflito sírio desde que ele teve início com marchas pacíficas pedindo a saída de Assad há mais de dois anos. Os protestos se tornaram uma rebelião armada violenta depois que os opositores passaram a usar armas para lutar contra a repressão do governo.

Segundo a ONU, o número de mortos na guerra civil chegou a 93 mil

O Exército teve uma pequena vantagem no início do mês ao capturar Qusair com a ajuda de combatentes do Hezbollah, grupo militante libanês. Os rebeldes também tiveram vitórias, após conseguirem capturar um posto do Exército na cidade de Daraa, cidade onde a revolta contra Assad teve início.

Com AP

Leia tudo sobre: síriamundo árabeprimavera árabehomsexércitoassad

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas