Líder do principal grupo de oposição da Síria renuncia ao cargo

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

'Eu tinha prometido o grande povo sírio e prometido a Deus que renunciaria se os problemas alcançassem algumas linhas vermelhas', disse sem especificar a razão para sua renúncia

Reuters

O líder do principal grupo de oposição da Síria, Mouaz al-khatib, renunciou neste domingo (24), dizendo ter tomado essa decisão para poder agir com mais liberdade, num duro golpe para uma ala moderada da revolta de dois anos contra o governo do presidente sírio, Bashar al-Assad.

Sábado: Rebeldes tomam controle de base estratégica no sul da Síria

AP
Líder da coalizão opositora na Síria, Mouaz al-Khatib, conversa com secretário de Estado norte-americano John Kerry, por teleconferência (02/2013)

EUA: Obama promete mais US$ 200 milhões à Jordânia para ajudar refugiados sírios

Ex-imã da mesquita Umayyad, em Damasco, ele havia sido escolhido em novembro para comandar a Coalizão Nacional para a Síria Revolucionária e as Forças da Oposição, depois de ter deixado o país por causa da repressão de Assad a grupos rebeldes.

Leia também: Explosão em mesquita mata clérigo pró-Assad na Síria

"Eu tinha prometido ao grande povo sírio e prometido a Deus que renunciaria se os problemas alcançassem algumas linhas vermelhas", afirmou Al-Khatib em comunicado postado em sua página oficial no Facebook, sem explicar exatamente o que provocou sua saída do cargo.

"Agora estou cumprindo minha promessa e anunciando minha renúncia da Coalizão Nacional para que eu possa estar pronto para trabalhar com a liberdade que não pode existir dentro de instituições oficiais", afirmou. Um porta-voz de Alkhatib confirmou a renúncia.

Após denúncias: ONU investigará suposto ataque com armas químicas na Síria

Da Arábia Saudita: Envio de armas para rebeldes sírios reflete nova abordagem

Na semana passada, a coalizão escolheu o ex-empresário Ghassan Hitto, educado no Ocidente, como primeiro-ministro provisório para formar um governo que preencha o vazio de poder na Síria, resultante de dois anos de uma revolta que já causou a morte de mais de 70 mil pessoas.

'Linha Vermelha': Líder sírio será responsabilizado se tiver usado armas químicas, diz Obama

Desde 2011: Síria reforça segurança no segundo aniversário de levante contra o regime

No começo do ano, Al-khatib apresentou uma proposta da oposição para conversações com o governo de Assad para uma transição política, mas disse que as autoridades em Damasco não responderam.

Líderes da coalizão devem participar de uma cúpula da Liga Árabe nesta semana, informou o Catar neste domingo. Eles vão buscar mais apoio para seu levante armado.

Leia tudo sobre: síriadamascomouaz al khatibkhatiboposiçãoeuaocidente

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas