Explosão em mesquita mata clérigo pró-Assad na Síria

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Ataque que governo atribui a elementos 'terroristas' deixa outros 41 mortos. Morto na explosão, imã Buti, aliado de presidente, costumava chamar oposição de 'escória'

Reuters

Uma explosão em uma mesquita na capital da Síria deixou nesta quinta-feira ao menos 42 mortos, incluindo um importante clérigo sunita aliado de longa data do presidente Bashar Assad, anunciou o Ministério da Saúde sírio.

Após denúncia: ONU investigará suposto ataque com armas químicas na Síria

AP
Mesa de xeque Mohammad Said Ramadan al-Buti, aliado de Bashar Assad, é vista após ataque contra mesquita em Damasco

Terça: Síria e rebeldes trocam acusações de 'ataque químico'; EUA negam alegações

Obama: Líder sírio será responsabilizado se tiver usado armas químicas

A TV estatal síria e ativistas da oposição afirmaram anteriormente que havia 15 mortos. A TV disse que um "ataque suicida terrorista" atingiu a mesquita Iman, no centro de Damasco, e que xeque Mohammad Said Ramadan al-Buti, 84, o imã da mesquita antiga Ummayyad, estava entre os mortos.

Buti, um clérigo nomeado pelo governo desafiado pelo movimento de oposição da Síria, proferia o sermão tradicional de sexta na televisão estatal. Em um de seus discursos televisionados, Buti descreveu aqueles que lutam para derrubar Assad como "escória".

NYT: Envio de armas da Arábia Saudita para rebeldes sírios reflete nova abordagem

Ele também usou sua posição para instar sírios a se juntar às Forças Armadas e ajudar Assad a derrotar seus rivais na rebelião popular que já dura dois anos.

O porta-voz rebelde Loay Maqdad afirmou que unidades associadas ao movimento de oposição Exército Livre da Síria não estavam por trás do ataque. "Nós, do Exército Livre da Síria não assumimos qualquer responsabilidade por essa operação. Não fazemos esses tipos de ataques suicidas e não alvejamos mesquitas", disse à TV Al Arabiya.

Advertência: ONU diz que refugiados sírios podem triplicar até o fim do ano

Um vídeo divulgado pelo canal sírio al-Ikhbariya mostrou dezenas de corpos estirados sobre o tapete ensanguentado da mesquita, enquanto agentes de emergência atendiam sobreviventes. Membros mutilados eram vistos em meio aos destroços.

O Observatório Sírio para Direitos Humanos, que tem uma rede de ativistas em toda a Síria, disse a explosão deixou cerca de 15 mortos no centro de Damasco. O Observatório afirmou que não estava claro se a explosão foi causada por um carro-bomba ou um morteiro. Outras dezenas foram feridas no ataque, informou.

Ajuda: Reino Unido envia blindados à oposição; Síria soma 1 milhão de refugiados

Auxílio: EUA enviarão US$ 60 milhões em ajuda à oposição da Síria

A mesquita Iman também está perto dos escritórios do governista partido Baath, de Assad, bem como de complexos do governo.

A população entrou em pânico após a explosão na noite de quinta (horário local) e descreveu ter visto ambulâncias correndo para a área, enquanto o tráfego paralisou. Moradores próximos da mesquita disseram que o cheiro forte de pólvora ainda pairava no ar.

Leia tudo sobre: síriaassaddamascomundo árabeprimavera árabe

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas