País em conflito pede que vizinho impeça grupos terroristas de usar as fronteiras para realizar ataques. Mais de um milhão de sírios já buscaram refúgio no Líbano

Reuters

A Síria alertou que pode atacar rebeldes escondidos no vizinho Líbano, caso o Exército libanês não entre em ação, informou nesta sexta-feira a agência de notícias estatal Sana. O Ministério das Relações Exteriores sírio disse ao ministério homólogo libanês, na noite de quinta-feira, que um "grande número" de militantes havia cruzado a fronteira no norte do Líbano para a cidade síria de Tel Kalakh ao longo dos últimos dois dias.

Na Europa: Proposta franco-britânica para armar rebeldes sírios é rejeitada

"A Síria espera que o lado libanês impeça que esses grupos terroristas armados usem as fronteiras como um ponto de travessia, porque eles estão mirando o povo sírio e violando a soberania da Síria", disse a mensagem diplomática.

O documento disse que a "paciência da Síria não é ilimitada", embora "as forças sírias contiveram-se, até agora, em atacar gangues armadas dentro do território libanês."

Combates perto da fronteira resultaram em um grande número de vítimas, segundo a Sana, antes de os atiradores recuarem para o país vizinho.

O Líbano tem uma política de "dissociação" com a guerra civil de dois anos na Síria, mas autoridades afirmam que sentem que seu país está cada vez mais em risco de ser arrastado para um conflito que a ONU afirma já ter matado 70 mil sírios.

Fuga: ONU diz que refugiados sírios podem triplicar até o fim do ano

O chefe da agência da ONU para refugiados, António Guterres, disse na sexta-feira que o conflito sírio ameaça a existência do Líbano.

"A comunidade internacional deve reconhecer que a crise síria representa uma ameaça existencial para o Líbano.... e deve mostrar um apoio muito maior do que tem feito até agora", disse ele a jornalistas, em Beirute.

Acredita-se que mais de um milhão de sírios já tenham buscado refúgio no Líbano.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.