Tunísia busca novo premiê para escapar de crise política

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Chefe do principal partido islâmico tunisiano disse esperar que novo governo de coalizão seja formado ainda nesta semana

O chefe do principal partido islâmico da Tunísia disse nesta quarta-feira que ainda buscava um nome para substituir o primeiro-ministro Hamadi Jebali, que anunciou sua renúncia na terça, mas acrescentou que espera que um novo governo de coalizão seja formado ainda esta semana para encerrar a crise política.

Terça: Hamadi Jebali renuncia como premiê da Tunísia

AP
Premiê da Tunísia, Hamadi Jebali (dir), aparece ao lado do líder do Ennahda, Rached El Ghannouchi, durante encontro parlamentar (18/2/2013)

Ennahda: Partido de premiê da Tunísia rejeita dissolver gabinete

"Precisamos de um governo de coalizão com vários partidos políticos e tecnocratas", disse o chefe do partido Ennahda, Rached Ghannouchi, após reunião com o presidente Moncef Marzouki sobre a crise política da Tunísia. "Temos de chegar a um acordo o mais rapidamente possível", disse Ghannouchi. "Espero que o novo governo seja anunciado esta semana."

Jebali, um alto funcionário do Ennahda, renunciou depois de não conseguir substituir um governo dividido por animosidades entre seus aliados islâmicos e seus oponentes seculares. O ex-premiê tentou formar uma coalizão em resposta à crise que se espalhou no país após o assassinato do líder opositor Chokri Belaid.

O assassinato de Belaid em 6 de fevereiro provocou protestos em massa e greves, além de demissões do governo de coalizão que governa a Tunísia.

Ghannouchi afirmou que o Ennahda, o maior partido na Assembleia Constituinte Nacional, não tinha decidido quem nomear para liderar o próximo governo, mas não deu mais detalhes. "Amanhã vamos resolver o problema do nosso candidato a primeiro-ministro", disse o membro do Ennahda Abdellatif Mekki.

*Com Reuters

Leia tudo sobre: tunísiaennahdaprimavera árabe

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas