Corte do Egito suspende YouTube por causa de filme que insulta Maomé

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Vídeo de pouco mais de 13 minutos produzido nos EUA provocou protestos em países árabes; para muçulmanos, qualquer representação do profeta é considerada blasfêmia

Um tribunal egípcio ordenou a suspensão do serviço de vídeo online YouTube por um mês neste sábado (9) pela transmissão de um filme que insulta o profeta Maomé.

Filme anti-Maomé: Suposto produtor é preso após violar liberdade condicional

Relembre: Embaixador dos EUA na Líbia é morto em ataque em Benghazi

Arquivo
Cena do filme "A Inocência dos Muçulmanos", que provocou onda de protestos em países muçulmanos


Leia também: Governos árabes pressionam YouTube para bloquear acesso a filme

O tribunal administrativo do país ordenou aos ministérios de comunicação e de investimento o bloqueio do YouTube, propriedade do Google, dentro do Egito porque havia postado o filme "Inocência dos muçulmanos", segundo informou a agência de notícias estatal MENA.

O vídeo de 13 minutos feito nos Estados Unidos provocou fortes protestos no Egito, Líbia e dezenas de outros países muçulmanos, em setembro do ano passado. O surto de violência coincidiu com um ataque às instalações diplomáticas em Benghazi, em setembro, que matou quatro cidadãos dos Estados Unidos, incluindo o embaixador do país na Líbia.

O vídeo retrata o profeta como um tolo. Para a maioria dos muçulmanos, qualquer representação do profeta é considerada blasfêmia.

O tribunal disse que estava julgando um caso apresentado sobre o filme há vários meses, sem entrar em mais detalhes. O YouTube "insistiu em transmitir o filme e insultar o Islã e o Profeta, desrespeitando as crenças de milhões de egípcios e desconsiderando a raiva de todos os muçulmanos", disse o tribunal, segundo a MENA.

As autoridades do Egito informaram que vão cumprir a decisão assim que receberem uma cópia do veredicto. Ninguém do Google ou do YouTube estava imediatamente disponível para comentar o assunto.

Com Reuters

Leia tudo sobre: inocência dos muçulmanosmaoméeuamundo árabevídeoyoutubeegito

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas