Justiça egípcia condena 21 à morte por massacre em estádio

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Confronto entre torcidas rivais de futebol deixou 74 mortos e mais de 200 feridos, em fevereiro de 2012; veredito de outros 52 indiciados será anunciado em março

Um tribunal egípcio decretou sentença de morte a 21 torcedores acusados por confronto no estádio Port Said, que matou 74 pessoas e feriu mais de 200 durante enfrentamento entre torcedores de dois clubes de futebol rivais. A ação criminosa ocorreu em fevereiro de 2012.

Relembre: Egípcios e polícia entram em choque após massacre em estádio

Reuters
Egípcios reagem ao anúncio da sentença de morte de 21 envolvidos no massacre do estádio Port Said

Ao todo, 73 pessoas foram indiciadas pelo massacre. A Justiça ordenou ainda que os acusados restantes permaneçam presos até a sentença definitiva. Ao fazer a leitura da sentença, o juiz pediu calma e silêncio no auditório. O veredito dos outros 52 acusados será anunciado no dia 9 de março.

Ontem: Violência explode no segundo aniversário da revolta no Egito
Assista: Vídeo mostra invasão de campo no Egito
Torcedores estão envolvidos em recente crise política do Egito

A briga entre torcedores do al-Masry e do al-Ahlym foi considerada o episódio mais violento da história do futebol egípcio. Além disso, na ocasião ela desatou uma onda de protestos na qual outras 16 pessoas morreram.

A condenação dos torcedores à morte foi anunciada um dia depois de uma série de manifestações marcar o segundo aniversário da queda de Hosni Mubarak. Após seu anúncio, parentes dos acusados teriam tentado invadir a prisão de Port Said e dois policiais teriam sido mortos, segundo a emissora estatal Nilo TV.

*com informações da Reuters e BBC Brasil

Leia tudo sobre: egitomundo árabesentença de mortejulgamento

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas