Humorista egípcio será investigado por insultar presidente Mursi

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Investigação sobre Bassem Youseff aumenta preocupações quanto à liberdade de expressão no período pós Mubarak

Reuters

Um humorista egípcio que fez piadas sobre o presidente Mohamed Morsi na televisão foi acusado de enfraquecer a posição do líder e será investigado por promotores, afirmou uma fonte ligada à Justiça nesta terça-feira (1º).

Leia: Presidente egípcio sanciona a nova Constituição

O caso de Bassem Youssef deve aumentar as preocupações quanto à liberdade de expressão na era pós Hosni Mubarak, especialmente no momento em que a nova constituição do país inclui disposições criticadas por ativistas de direitos humanos que, entre outros aspectos, proíbem insultos.

Entenda: Dois anos depois, transições difíceis ameaçam futuro da Primavera Árabe 

Youssef, que já teve seu próprio programa na televisão egípcia, ficou famoso após a revolta que tirou Mubarak do poder, em fevereiro de 2011, com um programa humorístico online que foi comparado ao Daily Show, de Jon Stewart.

O procurador-geral ordenou a investigação de uma queixa formal contra Youssef feita por um advogado islâmico. A queixa acusa o humorista de "insultar" Morsi, um islamista apoiado pela Irmandade Muçulmana, e de "minar sua posição".

Ativistas de direitos humanos dizem que este é o mais recente de uma série de casos de difamação que contaminam a liberdade de expressão ao passo que o Egito reformula suas instituições após Mubarak ter sido derrubado.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas