Síria lança mísseis Scud contra rebeldes; explosão atinge Ministério do Interior

Segundo autoridades americanas, uso de mísseis dentro de próprias fronteiras é mostra de desespero de regime de Assad; ataque na capital deixa ao menos cinco mortos

iG São Paulo | - Atualizada às

Forças do governo da Síria dispararam mísseis Scud contra rebeldes em dias recentes, em uma escalada do conflito de 20 meses contra opositores que tentam depor o regime de Bashar al-Assad, disseram autoridades americanas nesta quarta-feira.

ONU: Refugiados sírios superam marca de meio milhão

AP
Menino sírio é visto entre dois homens enquanto aguardam em padaria de Maaret Misreen, perto de Idlib

Sob condição de anonimato, dois oficiais disseram que as forças de Assad dispararam os mísseis a partir da área de Damasco em direção ao norte da Síria. Uma das fontes estimou que o número de projéteis disparados seria superior a dez, confirmando detalhes primeiramente reportados pelo jornal The New York Times.

A informação sobre os Scuds surgiu no mesmo dia em que mais de cem países, incluindo os EUA, reconheceram uma nova coalizão da oposição síria , isolando ainda mais o regime e abrindo caminho para uma maior assistência humanitária para as forças que tentam depô-lo.

Pressão: EUA e mais de cem países reconhecem principal grupo da oposição síria

Também nesta quarta-feira, a explosão de três bombas derrubou muros do prédio do Ministério do Interior sírio em Damasco, deixando ao menos cinco mortos e 23 feridos, segundo uma declaração do governo. Já segundo o opositor Observatório Sírio para os Direitos Humanos, o ataque, que mostra a aproximação dos opositores à capital - símbolo de poder de Assad, deixou oito mortos e mais de 40 feridos.

O ministério fica em Kafar Souseh, uma área da capital síria que faz fronteira com a praça Ummayad, no centro, e é disputada entre rebeldes e forças leais a Assad.

Em relação aos Scuds, uma autoridade disse não haver indicações de que armas químicas estavam a bordo deles. Durante a última semana, oficiais afirmaram temer que os avanços dos rebeldes fizessem Assad considerar usar armas químicas .

Advertência: Otan alerta para 'resposta imediata' se Síria usar armas químicas

Escalada: Otan aprova instalação de mísseis Patriot na fronteira da Turquia com Síria

A porta-voz do Departamento de Estado americano, Victoria Nuland, disse que Assad fez os lançamentos, mas não especificou de qual tipo. "À medida que o regime se torna cada vez mais desesperado, o vemos recorrendo a iniciativas mais letais e a armas mais fortes, e em dias recentes vimos o posicionamento de mísseis."

O porta-voz da Casa Branca, Jay Carney, disse não poder confirmar as informações, acrescentando que, se verdadeiras, seriam um sinal de desespero. "A ideia de que o regime sírio lançaria mísseis dentro de suas fronteiras, contra sua própria população, é uma medida impressionante, desesperada e uma escalada militar completamente desproporcional."

AP
Foto de 10/12 mostra militante do Exército Livre da Síria durante confrontos com forças de governo em Aleppo, Síria

Os rebeldes conseguiram alguns ganhos nos arredores de Damasco recentemente, mas contaram com ataques e bombas no centro da cidade, muitas vezes em prédios públicos ou áreas de segurança leais a Assad, como Jaramana, onde bombas deixaram 34 mortos em novembro.

Um ataque a bomba em 18 de julho, que matou quatro dos assessores mais próximos de Assad , incluindo seu temido cunhado Assef Shawkat, foi logo seguido por um avanço de insurgentes, que mais tarde tiveram de recuar na cidade.

*Com Reuters e AP

    Leia tudo sobre: síriaassadscudprimavera árabedamascomundo árabe

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG