Síria bombardeia capital e país segue sem internet pelo terceiro dia

Pelo menos 40 mil pessoas já morreram em conflito que já dura 20 meses; rebeldes querem derrubar o presidente Bashar al-Assad

Reuters |

Reuters

Aviões sírios bombardearam regiões de Damasco controladas por rebeldes neste sábado, disseram moradores, e um apagão nacional na internet entrou em seu terceiro dia. Rebeldes sírios que estão lutando para derrubar o presidente Bashar al-Assad entraram em confronto com tropas do governo nas regiões mais povoadas do país, segundo ativistas da oposição. Pelo menos 40 mil pessoas já morreram durante a revolta, que já dura 20 meses, dizem eles.

Síria:  Internet para de funcionar em meio a combates perto de aeroporto

Ataque: Dupla explosão deixa 34 mortos na capital da Síria

Reuters
Garoto entra em escola alvo de bombardeio em Aleppo, na Síria

O Observatório Sírio para os Direitos Humanos, um instituto ligado à oposição, disse que aviões de guerra estavam bombardeando os subúrbios de Damasco, Kafar Souseh e Darraya. "As forças sírias estão tentando controlar as regiões ao redor da capital e entraram em confronto com os rebeldes", disse o observatório.

Os rebeldes, em sua maioria muçulmanos sunitas que estão combatendo Assad, que faz parte da minoria síria alauíta, ligada ao islamismo xiita, têm feito conquistas em toda a Síria, invadindo bases militares e aumentando os ataques a Damasco, sua sede de poder.

Ativistas: Ataque da Síria com bombas de cacho mata dez crianças

Desde quinta-feira, houve relatos de confrontos perto de Aqraba e Babila, distritos no sudeste de Damasco que levam ao aeroporto internacional, efetivamente fechando a estrada e fazendo com que a EgyptAir e a Emirates suspendessem seus voos.

A TV estatal síria citou uma declaração do Ministério da Informação dizendo que o aeroporto internacional de Damasco estava aberto neste sábado e que a estrada que leva a ele estava segura. Ativistas da oposição disseram que os confrontos continuavam.

Especialistas em redes de tecnologia acusam o governo de cortar a internet, mas Damasco culpa os "terroristas", um termo que ele usa para se referir à oposição.

Avanço: Rebeldes sírios dizem ter capturado base a leste de Damasco

Saiba mais: Rebeldes dizem ter capturado base militar em província no leste da Síria

Grupos de direitos humanos alertaram que a queda nas comunicações antecede uma maior ofensiva de forças do governo na capital. Forças de segurança da Síria e diplomatas dizem que o governo pretende bloquear o centro de Damasco dos subúrbios agitados.

    Leia tudo sobre: síriadamascomundo árabeprimavera árabe

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG