Rebeldes dizem ter capturado base militar em província no leste da Síria

Segundo ativistas, opositores ocuparam instalação em Deir al-Zor e enfraqueceram controle de Assad em importante região na fronteira com o Iraque

iG São Paulo |

Rebeldes sírios capturaram uma base de artilharia do Exército na província produtora de petróleo no leste do país Deir al-Zor, nesta quinta-feira, enfraquecendo o controle do presidente Bashar Al-Assad na estratégica região que faz fronteira com o Iraque, informaram várias fontes da oposição.

"A base militar de Mayadeen caiu às 8h30 (4h30 no horário de Brasília)", disse o membro do Conselho Revolucionário Militar da província, Abu Laila, à Reuters. Ele disse que 44 combatentes rebeldes foram mortos durante o cerco à base. "Todo o interior, desde a fronteira iraquiana, e ao longo do Eufrates, até a cidade de Deir al-Zor, está sob controle dos rebeldes."

Leia também: Turquia pede instalação de mísseis da Otan na fronteira com a Síria

Reuters
Rebeldes sírios são vistos em Ras Al-Ain

A captura da base segue a de um aeroporto militar a 80 quilômetros a sudeste da fronteira iraquiana na semana passada. Rebeldes invadiram diversas bases no norte e no centro do país, indicando uma crescente força militar, de acordo com fontes da oposição e diplomatas.

Porém, nenhuma grande cidade está nas mãos da oposição e o poder aéreo de Assad garante que o domínio dos rebeldes em muitas partes do país continue tênue. Tentativas de unificar o comando rebelde tiveram pouco progresso.

O líder tribal da província, Sheikh Nawaf al-Bashir, disse que a queda de Mayadeen deixa Assad com três grandes bases militares restantes sob seu controle na região.

Mísseis na fronteira com a Turquia

Também nesta quinta-feira, a Rússia desaconselhou a instalação de mísseis Patriot na fronteira da Turquia com a Síria, como solicitado por Ancara à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

"A militarização da fronteira turco-síria é um sinal preocupante. Nosso conselho aos colegas turcos é outro: que utilizem sua influência com a oposição síria para chegar o mais rápido possível a um início de diálogo sírio", declarou o porta-voz do ministério russo das Relações Exteriores, Alexander Lukachevitch.

O diplomata pediu que os turcos priorizem o apoio ao diálogo e não tentem dar uma demonstração de força. "Vamos ver a reação de nossos sócios da Otan", completou o porta-voz. "Tais iniciativas não levam otimismo para uma solução política rápida na Síria."

A Turquia pediu formalmente na quarta-feira o envio de mísseis de defesa antiaérea e antimísseis Patriot por países membros da Otan ao longo da fronteira com a Síria.

Estados Unidos e França se mostraram favoráveis ao pedido. A Rússia, aliada do regime sírio, vetou em três ocasiões, ao lado da China, as resoluções da ONU que pretendiam aumentar a pressão sobre a Síria.

Com Reuters e AFP

    Leia tudo sobre: síriamundo árabeassadturquiaprimavera árabeotanmísseis patriot

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG