Israel faz disparos contra a Síria pelo segundo dia consecutivo

Tanques atingiram 'artilharia móvel' após morteiro cair nas Colinas de Golã; Israel promete responder mesmo acreditando não ser alvo intencional

iG São Paulo |

O Exército israelense afirmou ter disparado contra a Síria nesta segunda-feira, pelo segundo dia consecutivo, em resposta a um morteiro "errante" que caiu nas Colinas de Golã, território controlado por Israel. Também nesta segunda-feira, ataques aéreos do governo sírio foram feitos em uma cidade próxima à fronteira com a Turquia.

De acordo com os militares israelenses, tanques dispararam contra alvos específicos e atingiram uma "artilharia móvel síria". Não há registro de feridos em nenhum dos dois lados da fronteira e Israel disse não acreditar que o morteiro tenha sido disparado intencionalmente contra alvos israelenses. Mesmo assim, o Exército afirmou que irá responder com força caso os incidentes continuem acontecendo.

Leia também:  Israel faz disparos de 'advertência' contra Síria

Reuters
Moradores observam fumaça na cidade de Ras al-Ain, na fronteira com a Turquia, após ataque aéreo

No domingo, o Exército disse ter feito " disparos de advertência " contra a Síria, no que foi descrito pela Rádio Israel como o primeiro engajamento direto entre os dois países no Golã desde a guerra de 1973. As Forças Armadas israelenses fizeram uma reclamação formal junto às forças da Organização das Nações Unidas (ONU) que operam na região.

Depois do incidente, o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, pediu que Israel e Síria tenham "máxima moderação" e respeitem o acordo de 1974, que instituiu uma linha de cessar-fogo e uma zona desmilitarizada nas Colinas de Golã patrulhada pelas tropas da ONU.

"O secretário-geral está profundamente preocupado com a possibilidade de uma escalada" no confronto entre os dois países, disse o porta-voz da ONU, Martin Nesirky.

Turquia

Nesta segunda-feira, um avião de guerra sírio bombardeou a cidade sob domínio rebelde de Ras al-Ain, a alguns metros de distância da fronteira com a Turquia, fazendo com que centenas de civis fugissem para o país em busca de segurança.

Não há informação sobre vítimas. O avião atingiu alvos a alguns metros da cerca fronteiriça que divide Ras al-Ain do assentamento turco de Ceylanpinar, fazendo subir uma fumaça negra.

Um repórter da Reuters em Ceylanpinar disse que o avião voou ao longo da fronteira e pareceu entrar no espaço aéreo turco em um determinado momento.

Não ficou claro o que a bomba atingiu, porém muitos civis fugiram da região, passando pela cerca para entrar na Turquia.

Para o alarme do governo turco, cerca de 9 mil sírios entraram em um período de 24 horas na semana passada, elevando para mais de 120 mil o número de refugiados registrados em campos da Turquia.

Com AP e Reuters

    Leia tudo sobre: síriaisraeloriente médioassadmundo árabeprimavera árabe

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG