Forças israelenses atiram após confronto entre soldados e rebeldes sírios atingir seu território

Forças israelenses dispararam contra a Síria no que o Exército descreveu como uma advertência, depois que morteiros lançados da Síria atingiram as Colinas de Golã, ocupadas por Israel.

O incidente, descrito pela Rádio Israel como o primeiro engajamento direto das Forças Armadas sírias no Golã desde a guerra de 1973, destacou o temor internacional de que a guerra civil da Síria possa provocar um conflito regional maior.

Leia também:  Grupos de oposição da Síria firmam acordo para criar nova coalizão

Saiba mais: Veja o especial sobre as revoltas árabes

Uma fonte de segurança israelense disse que as Forças Armadas dispararam na direção de uma equipe do Exército sírio que havia lançado um morteiro que ultrapassou a barreira de Golã no domingo, explodindo perto de um assentamento judaico, sem provocar feridos.

Em um comunicado, o Exército israelense disse que os soldados haviam "disparados tiros de advertência na direção das regiões sírias".

"O IDF (Força de Defesa de Israel) fez uma reclamação junto às forças da ONU operando na região, declarando que os tiros vindo da Síria em direção a Israel não serão tolerados e terão resposta dura", segundo comunicado.

Não houve um comentário imediato da Força Observadora do Desengajamento das Nações Unidas, que patrulha a área.

A disseminação da violência neste mês da Síria para o Golã causou temor em Israel. Há temores similares na Turquia, Jordânia e Líbano sobre incidentes em suas próprias fronteiras com a Síria, onde forças leais ao presidente Bashar al-Assad vêm combatendo rebeldedesde março do ano passado.

Com Reuters

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.