Rebeldes tomam base do exército sírio na estrada entre Aleppo e Damasco

Ofensiva matou ao menos 28 soldados leais ao presidente Bashar Al-Assad; governo respondeu com bombardeio aéreo na capital e na província de Idlib

iG São Paulo |

Em uma ofensiva realizada nesta quinta-feira, rebeldes atacaram postos de controle do exército da Síria na estrada que liga a capital Damasco a Aleppo, deixando um saldo de 28 mortos. Segundo o Observatório Sírio para Direitos Humanos, entidade baseada em Londres, cinco insurgentes também morreram.

Leia também: Rebeldes matam general da força aérea síria durante ataque a Damasco

Durante a operação, as forças leais ao presidente Bashar Al-Assad continuavam bombardeando subúrbios de Damasco, áreas na província de Idlib e Homs pelo segundo dia consecutivo. Helicópteros também foram vistos sobrevoando a região norte da capital.

AP
Imagem mostra destruição em bairro residencial de Homs, na região central da Síria, após dias de bombardeio

Segundo relatos, rebeldes atacaram ao todo três postos de controle na província de Idlib, porém conseguiram tomar apenas um deles, próximo à vila de Saraqeb. O local fica ao sul de Aleppo, à beira de uma das principais estradas utilizadas pelo exército para levar provisões aos combatentes posicionados na maior cidade da Síria.

É pouco provável que os rebeldes mantenham controle do entreposto, uma vez que a ofensiva tinha como principal objetivo roubar armamentos e munição. A área é isolada e altamente exposta a ataques de artilharia e bombardeios áereos.

Leia também: Explosões na capital da Síria mata 8 civis e deixa dezenas de feridos

A ofensiva, porém, mostra o crescente poder dos combatentes rebeldes nas áreas próximas à cidade de Maarat Al-Numan, tomada pelos insurgentes em 10 de outubro. A principal estrada que liga Damasco a Aleppo passa exatamente por esta região.

Na última contagem feita pelo Observatório Sírio para Direitos Humanos, o saldo total do conflito na Síria desde março de 2011 registrava 36 mil mortos, sendo 25 mil civis, 9 mil soldados leais a Bashar Al-Assad e 1,2 mil rebeldes.

    Leia tudo sobre: síriabashar al-assadguerra divilmundo árabe

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG