Rebeldes sírios controlam base de defesa aérea em Aleppo, afirmam ativistas

Segundo relatos, tomada foi seguida de intenso confronto com as tropas do governo, que atiraram de aviões destruindo mísseis e foguetes armazenados no local

iG São Paulo | - Atualizada às

Rebeldes sírios tomaram uma base de defesa aérea em Aleppo nesta sexta-feira, enquanto as forças do governo lutaram contra insurgentes em diferentes frentes em todo o país, segundo relatos de ativistas.

A base de al-Taaneh fica a leste de Aleppo, onde confrontos entre as tropas de Bashar al-Assad e os opositores ao regime ocorrem há meses. Em Aleppo, a mídia estatal afirmou que soldados destruíram 14 caminhonetes rebeldes carregadas de armas.

Veja o especial do iG sobre a revolta do mundo árabe

Saiba mais:  Avião russo levava equipamento de radar para a Síria, alega chanceler

Leia também:  Avião sírio carregava equipamentos militares, diz premiê da Turquia

AP
Um combatente do Exército Livre da Síria conforta uma criança ferida por tiros disparados pelas forças do governo em Aleppo


Saiba mais:  Rússia exige explicação da Turquia sobre pouso forçado de avião sírio

Al-Taaneh é tida como parte da grande rede defensiva do país. Vídeos postados na internet mostraram rebeldes na parte de dentro da base, inspecionando mísseis.

Um porta-voz do Conselho Revolucionário em Aleppo Abu Firas afirmou ao site do jornal britânico The Guardian que pouco depois da tomada da base, "as tropas do regime começaram a atirar de aviões e destruíram boa parte dos foguetes e radares". "Os aviões também atiraram em muitos distritos dentro de Aleppo", afirmou.

Leia também: Turquia promete aumentar resposta se Síria não suspender ataques

Saiba mais:  Governo sírio diz ter matado quatro turcos em Aleppo

A suposta tomada da base aérea representou uma escalonada da violência, um dia depois que o Observatório Sírio dos Direitos Humanos contabilizou 250 mortes somente na sexta-feira.

A agência estatal de notícias da Síria, Sana, também registrou confrontros pelo país que teria deixado dezenas de "terroristas mercenários" mortos, segundo informou a agência Reuters.

De acordo com a ONU, 340 mil deixaram a Síria e procuraram refúgio em países vizinhos e é esperado que esse número dobre até o fim do ano. Mais de 30 mil pessoas já foram mortas desde o início do conflito que começou como uma revolta popular contra as quatro décadas de ditaduta da família Assad no país.

Leia mais: Ocidentais com laços com a Síria ajudam rebeldes em revolta contra Assad

Tensão com a Turquia

Enquanto a cidade é tomada por uma onda de violência, as relações com a antiga aliada Turquia vem piorando a cada dia. Recentemente, a Turquia interceptou um avião fazendo a rota Moscou-Damasco, que, segundo o premiê turco, Tayyip Erdogan, carregava munição e equipamentos de comunicação destinados ao Exército de Assad.

Nesta sexta-feira, a Rússia respondeu, afirmando que a aeronave estava levando, de forma legal, radares para a capital síria . Diante do impasse, a Síria desafiou a Turquia, dizendo que o país deveria expôr os itens apreendidos em público.

Com Reuters e BBC

    Leia tudo sobre: síriaturquiarússiaaleppobasedefesa

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG