Rei da Jordânia dissolve Parlamento e convoca nova eleição legislativa

Rei Abdullah II enfrenta uma onda de revoltas populares que pedem reformas políticas no país

iG São Paulo |

O rei Abdullah II, da Jordânia, decidiu dissolver o Parlamento no país e abriu caminho para uma nova eleição legislativa nesta quinta-feira. O decreto visa acalmar a população local, que realizou grandes manifestações nos últimos meses pedindo reformas no governo.

AP
O rei Abdullah II em visita ao Peru (01/10)

Inspirados nas últimas revoltas realizadas durante a chamada Primavera Árabe, os cidadãos da Jordânia clamam por mais direitos dentro do sistema político nacional e pedem também que a corrupção seja combatida. O rei Abdullah II é responsável por nomear diretamente o primeiro-ministro do país, onde há pouco espaço para discussões democráticas.

Em resposta, o rei da Jordânia afirmou que após as eleições parlamentares, os membros da casa seriam os responsáveis pela escolha do novo primeiro-ministro no começo de 2013.

Leia também: Onda de refugiados sírios desperta temores na Jordânia

Antes mesmo da medida, membros da Irmandade Muçulmana haviam convocado a população para uma grande manifestação na sexta-feira. "Depois de 20 meses de insatisfação popular, protestos e falta de resposta para nossas demandas, estamos dando início a uma nova fase", afirmou o porta-voz do partido islâmico.

Embora as manifestações na Jordânia tenham sido executadas sem violência, autoridades locais temem a marcha de amanhã seja marcada por confrontos entre simpatizantes do rei Abdullah II e simpatizantse da Irmandade Muçulmana.

Mesmo sem marcar uma data, o rei da Jordânia afirmou que espera que as eleições parlamentares sejam realizadas até o final de 2012.

    Leia tudo sobre: jordâniarei abdullahirmandade muçulmana

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG