Manifestantes muçulmanos e policiais se enfrentam na Austrália

CErcade 500 pessoas participavam do protesto

EFE |

EFE

A polícia australiana utilizou gás lacrimogêneo neste sábado para dispersar um grupo de manifestantes que protestavam em Sydney pelo vídeo do profeta Maomé, considerado blasfemo pelos muçulmanos e supostamente produzido nos Estados Unidos.

O protesto começou perto do consulado dos EUA em Sydney, onde se concentraram cerca de 500 pessoas, e se propagou por várias ruas do centro da cidade.

Saiba mais: Protestos de muçulmanos contra insultos ao Islã

Polícia investiga suspeito de ter produzido filme

Hillary sobre filme que ridiculariza Maomé: 'repugnante'

Reuters
Manifestantes muçulmano e policiais se enfrentam

Entre os manifestantes havia homens, mulheres e crianças de diversas idades, segundo imagens da televisão "ABC" que mostraram um dos participantes do protesto com um cartaz que pedia a decapitação de todos os que insultem o profeta.

Os manifestantes responderam com pedras o uso de gás lacrimogêneo e cachorros por parte da Polícia em sua tentativa de bloquear a manifestação, o que deixou vários feridos que tiveram que ser atendidos pelos serviços médicos.

"Esta era um protesto não-violento, mas as pessoas não gostam de ver como seus irmãos são atacados por cachorros e acabam no hospital", disse o porta-voz dos manifestantes, Abdulah Sary, ao jornal "Sydney Morning Herald". Durante os confrontos, a polícia deteve vários manifestantes. 

    Leia tudo sobre: MUÇULMANOS AUSTRÁLIA

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG