Pelo menos quatro áreas residenciais de Aleppo foram bombardeadas. Pelo menos sete crianças, de 4 a 11 anos, estariam entre os mortos

Um bombardeio aéreo das forças do governo da Síria destruiu parcialmente nesta madrugada bairros rebeldes em Aleppo, na Síria, e deixou pelo menos 19 mortos. Um dos bairros atingidos pelo ataque foi o de Myasar, considerado um dos redutos na cidade dos rebeldes que lutam contra o governo do presidente Bashar al Assad. 

Críticas:  Assad criou um "Estado terrorista" na Síria, diz premiê turco

Moradores e integrantes do movimento insurgente Exército Síria Livre tentaram controlar o fogo após o ataque em Myasar, mas acabaram desistindo por causa da fumaça tóxica e do calor intenso. "Vários civis ficaram feridos, alguns em estado grave", anunciou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

Rebeldes analisam destruição após bombardeio em bairros residenciais na cidade de Aleppo
AP
Rebeldes analisam destruição após bombardeio em bairros residenciais na cidade de Aleppo


Os bairros de Marjeh e Hanano também foram atacado. Nesses locais pelo menos sete crianças, com idades entre 4 e 11 anos, estão entre as vítimas fatais. Outros 10 civis morreram no bombardeio do bairro de Bustane al-Basha. 

A Organização das Nações Unidas (ONU) afirmou que nas últimas semanas cada vez mais sírios estão deixando o país para escapar do conflito. Segundo o OSDH, o conflito deixou mais de 26.000 mortos desde o início da revolta contra o regime, em março de 2011.

Refugiados

Cerca de 100 mil refugiados deixaram a Síria em agosto, um número mensal recorde desde que o conflito começou , em março de 2011, afirmou a ONU na terça. O número inclui tanto refugiados registrados e os que aguardam para ser registrados pela Agência de Refugiados, que tem sede em Genebra, e representa mais de 40% do total de 234.368 sírios que deixaram o país até 2 de setembro.

"Se você faz as contas, é um número impressionante", disse a porta-voz da agência, Melissa Fleming. "E mostra um escalada significativa no movimento de refugiados e pessoas pedindo asilo, além de uma situação muito precária e violenta dentro do país."

De acordo com a ONU, mais de 80 mil refugiados sírios estão na Turquia e cerca de 8 mil esperam para cruzar a fronteira. Outros 77 mil sírios foram para a Jordânia, 59 mil para o Líbano e quase 18.700 mil para o Iraque.

*com Reuters, AFP e AP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.