Tayyip Erdogan afirmou ainda massacres sírios ganham força com a indiferença da comunidade internacional. Turquia recebeu 80 mil refugiados em agosto

Reuters

O primeiro-ministro da Turquia, Tayyip Erdogan, disse nesta quarta-feira que o presidente Bashar al-Assad criou um "Estado terrorista" na Síria e expressou novamente frustração com a falta de consenso internacional sobre o caos no país vizinho.

Leia também:  ONU diz que cerca de 100 mil refugiados deixaram a Síria em agosto

"Os massacres na Síria, que ganharam força com a indiferença da comunidade internacional, continuam aumentando", Erdogan afirmou durante uma reunião de seu partido, o AKP. "O regime na Síria tornou-se um Estado terrorista".

Premiê fez comentário sobre Assad durante reunião do seu partido na cidade de Ankara, na Turquia
AP
Premiê fez comentário sobre Assad durante reunião do seu partido na cidade de Ankara, na Turquia


O governo turco inicialmente cultivava boas relações com a administração de Assad, porém Erdogan se tornou um dos críticos mais ferrenhos do presidente sírio desde o início de um levante contra Assad há 17 meses.

A Turquia está lutando para lidar com a entrada de cerca de 80.000 refugiados sírios em seu território e tem pressionado repetidamente por uma zona de segurança dentro da Síria protegida por forças estrangeiras, mas a proposta teve pouco apoio internacional.

O país acusa Assad ainda de fornecer armas para os insurgentes do grupo curdo PKK, que luta contra as tropas do governo no sudeste turco há quase três décadas, e levantou a possibilidade de uma intervenção militar na Síria caso a PKK vire uma ameaça.

Em resposta, Assad negou que a Síria tenha permitido que militantes do PKK operem dentro de seu território, perto da fronteira com a Turquia. O PKK é classificado como uma organização terrorista pela Turquia, Estados Unidos e União Europeia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.