Primeiro-ministro do Egito nomeia membros de gabinete

Hisham Kandil, no entanto, manteve nomes do antigo governo, como nas pastas de Relações Exteriores, Finanças e Defesa

AFP |

AFP

O primeiro-ministro do Egito, Hisham Kandil , nomeou nesta quarta-feira os membros de seu governo, entre eles vários ministros do antigo governo, em particular os das Relações Exteriores, Finanças e Defesa.

Kandil: Barba de premiê egípcio levanta dúvidas sobre influência islâmica no governo

Mais de um mês depois da posse do presidente islamita Mohammed Morsi , Kandil recebeu os ministros de seu futuro gabinete, que deve ser formalmente apresentado na quinta-feira.

Reuters
O presidente egípcio, Mohammed Morsi, tem reunião com o premiê Hisham Kandil no Cairo (22/07)

Sinal da forte influência do Exército, o marechal Hussein Tantawi, chefe do Conselho Supremo das Forças Armadas (CSFA) e atual ministro da Defesa, manterá seu posto, de acordo com uma fonte militar.

Tantawi permaneceu por 20 anos no cargo de ministro da Defesa durante o regime do ex-presidente Hosni Mubarak , e manteve a pasta após a queda do regime, em fevereiro de 2011. Como chefe do CSFA, assumiu a liderança do país após a renúncia de Mubarak causada por um levante popular, e manteve-se na função até a posse de Morsi, em junho.

Os ministros das Finanças, Momtaz Al-Saeed, e das Relações Exteriores, Mohammed Kamel Amr, também continuarão, de acordo com a emissora Nilo News.

O Ministério do Interior, antes dirigido por Mohammed Ibrahim, passará para Ahmed Gamaleddine, um dos vice-ministros do Interior e ex-diretor de segurança do município de Assiut, ao sul do Cairo.

Governo de Morsi: Presidente do Egito nomeia novo premiê

O Ministério da Educação voltará para Mostafa Mossaad e o de Habitação para Tarek Wafik, duas figuras do Partido da Liberdade e Justiça (PJL, ligado à Irmandade Muçulmana).

Na quinta-feira, Morsi presidirá a primeira reunião do novo governo, após a tomada de posse dos ministros, indicou seu porta-voz, Yasser Ali, citado pelo site da Irmandade Muçulmana.

Kandil era ministro da Irrigação no gabinete do primeiro-ministro Kamal al-Ganzouri, nomeado no ano passado pelos militares e, atualmente, encarregado de expedir documentos gerais.

Trajetória

O novo primeiro-ministro é engenheiro formado na Universidade do Cairo e doutor pela Universidade da Carolina do Norte.

Encarregado no dia 24 de julho por Morsi para formar o novo gabinete, ele assegurou que seu governo seria composto por tecnocratas e que a escolha de seus ministros "não seria baseada na orientação" política, mas sim na competência.

Pouco conhecido fora dos círculos políticos, Kandil se apresenta como um homem religioso e, conforme declarou a jornalistas após a sua nomeação para o Ministério da Irrigação, deixou sua barba crescer "de acordo com a Sunnah" (tradição de Maomé).

O primeiro-ministro designado, recentemente "exortou todas as forças políticas e o povo do Egito para nos apoiar nessa difícil missão". "Devemos fazer todos os esforços para alcançar os objetivos da revolução", afirmou.

O Egito, país mais populoso do mundo árabe com mais de 80 milhões de habitantes, vive desde a queda de Mubarak uma crise, marcada por um declínio do turismo, um colapso dos investimentos estrangeiros e um agravamento do déficit orçamentário.

Saiba mais: Veja o especial sobre Revolta no Mundo Árabe

Morsi, o primeiro presidente egípcio a não ser do Exército desde 1952, assumiu o cargo em 30 de junho. Os militares, que lhe devolveram o poder Executivo herdado de Mubarak, mantêm, no entanto, o poder Legislativo, após a dissolução do Parlamento em junho.

    Leia tudo sobre: egitomorsikandilparlamentogabinetepresidênciacairomilitares

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG