Assad encoraja tropas a lutar e diz que futuro da Síria está em jogo

Em comunicado, presidente sírio insta as forças de segurança a intensificar batalha 'crucial' contra os rebeldes

iG São Paulo | - Atualizada às

O presidente da Síria, Bashar Al-Assad, instou nesta quarta-feira as forças de segurança de seu país a intensificar a luta contra os rebeldes. “Nossa batalha é contra um inimigo multifacetado e com objetivos claros”, disse Assad, em comunicado. “Essa batalha determinará o destino do nosso povo e o passado, o presente e o futuro da nação.”

O comunicado de Assad, publicado em uma revista do Exército para marcar o 67º aniversário das Forças Armadas, é divulgado no momento em que a Organização das Nações Unidas (ONU) denuncia uma escalada de violência na cidade de Aleppo, com o uso de armamentos pesados tanto pelas forças de segurança como pelos rebeldes.

Leia também:  Sírios no Brasil criam rede de apoio a refugiados

Reuters
Rebelde dispara durante confronto com as forças de segurança da Síria em Aleppo (31/07)

Em sua mensagem, Assad elogiou o comportamento das forças de segurança "na guerra que o país enfrenta contra grupos terroristas". Ele reiterou sua confiança nos militares e os encorajou a prosseguir sua preparação para a batalha que chamou de "crucial" e para que "continuem sendo a fortaleza da nossa nação".

O presidente da Síria disse que os rebeldes pretendem "impedir os sírios de desenvolver seu futuro, mas foram surpreendidos por este povo que se comportou com um coração único para fazer frente a suas conspirações”.

Assad não faz pronunciamentos públicos desde 18 de julho, quando uma explosão matou autoridades de seu governo em Damasco. Combates continuam acontecendo na capital, mas os confrontos mais duros são em Aleppo, a maior cidade da Síria, para a qual Assad enviou um enorme contingente militar.

A porta-voz da missão da ONU na Síria, Sausan Ghosheh, afirmou que os observadores internacionais testemunharam o uso de aviões de guerra em Aleppo.

“Na terça-feira, pela primeira vez, vimos disparos de uma aeronave de guerra. E também temos a confirmação de que a oposição também possui armas pesadas, inclusive tanques”, afirmou.

Segundo ela, moradores da cidade sofrem com a falta de combustível, comida e água . “A situação humanitária aqui é muito ruim”, disse Mohammed Saeed, ativista que vive em Aleppo, à Associated Press por Skype.

“Não há comida suficiente e as pessoas tentam a todo custo fugir. Nós realmente precisamos de ajuda externa. Há bombardeios contra civis”, acrescentou. “A cidade tem diminuição considerável no gás de cozinha, o que faz as pessoas cozinharem em fogueiras ou com auxílio de energia elétrica, que é cortada com frequência.”

Com AP, BBC e AFP

    Leia tudo sobre: síriaassadmundo árabeprimavera árabealeppoonu

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG