Funcionário de comissão eleitoral morre em ataque a helicóptero na Líbia

Aeronave transportava urnas eleitorais à cidade de Benghazi para eleição da Assembleia Constituinte, no sábado, a primeira no país pós-Kadafi

EFE |

EFE

Um funcionário da Comissão Suprema Eleitoral morreu nesta sexta-feira em um ataque ao helicóptero que transportava urnas eleitorais à cidade de Benghazi, no leste da Líbia, onde no sábado serão realizadas as eleições para o Conselho Nacional Geral (Assembleia Constituinte) do país.

Pós-Kadafi: Às vésperas de primeiras eleições livres, 'Líbia pode mergulhar no caos'

AP
Autoridades líbias arrumam centro de votação em Trípoli, para eleição da assembleia no sábado

A autoria do ataque ainda é desconhecida, e o helicóptero foi obrigado a realizar um pouso de emergência. Além disso, um foguete e uma bomba foram lançados contra um hospital de Benghazi, a segunda maior cidade do país, sem deixar mortos. 

Na última quinta-feira, outro grupo de desconhecidos ateou fogo ao armazém no qual se encontravam as urnas para as eleições.

Todas as urnas foram queimadas no incêndio, embora fontes oficiais indiquem que a Comissão Suprema Eleitoral está fazendo todo o possível para evitar atrasos na abertura dos colégios eleitorais, prevista para as 8h (3h em Brasília).

Além disso, na última noite um grupo de manifestantes forçou o fechamento de dois portos petroleiros do leste de Líbia para exigir uma "distribuição mais equitativa" das 200 cadeiras do Conselho Nacional.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG