Líbia prende ex-primeiro-ministro de Kadafi após extradição

Al-Baghdadi al-Mahmudi foi capturado na Tunísia quando tentava atravessar a fronteira em direção à Argélia

EFE |

EFE

As novas autoridades líbias ordenaram neste domingo a prisão de Al-Baghdadi al-Mahmudi, o último primeiro-ministro de Muamar Kadafi, após sua extradição pelo governo tunisiano.

Em entrevista coletiva em Trípoli, o chefe do governo provisório líbio, Abdel Rahim al-Kib, anunciou, além disso, que Baghdadi será julgado por "crimes contra o povo líbio" e que terá direito a um processo "justo e equitativo". Kib explicou ainda que o ex-chefe do Executivo está em dependências penitenciárias do Ministério da Justiça e da Polícia Judiciária.

Pós-Kadafi:  Líbia acusa ex-chefe de espionagem de Kadafi por morte de manifestantes

Al-Mahmudi foi extraditado neste domingo pelas autoridades da Tunísia, onde estava detido desde setembro de 2011 e cumpriu nove meses de prisão após ter sido consierado culpado pelo crime de entrada ilegal no país.

Membro do círculo próximo do ex-ditador, Al-Mahmudi fugiu da Líbia durante o ataque dos rebeldes à capital e foi capturado por forças tunisianas quando tentava atravessar a fronteira para se refugiar na Argélia.

Para Kib, a extradição é fruto "dos intensos esforços diplomáticos" de seu governo, e foi possível graças à aplicação de um acordo judicial assinado com a Tunísia em 1961.

    Leia tudo sobre: líbiatunísiamundo áraberevolta no mundo árabekadafi

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG