Após uma semana, observadores da ONU na Síria conseguem entrar em Haffa

Monitores tentavam entrar há uma semana em cidade palco de intensos confrontos e cujo controle foi recuperado pelas forças de segurança

iG São Paulo |

Observadores da Organização das Nações Unidas (ONU) entraram na cidade síria de Haffa nesta quinta-feira, um dia após forças de segurança terem reconquistado o controle da região, que estava nas mãos dos rebeldes.

Oito dias de intensos confrontos no local deixaram cerca de 120 mortos, de acordo com ativistas.

Leia também:  Forças sírias dizem ter retomado controle de Haffa

Observadores da ONU tentavam entrar na cidade há uma semana. Na terça-feira, foram forçados a dar meia volta enquanto tentavam alcançar a cidade porque foram recebidos com pedras e disparos.

Haffa é considerada crucial para o regime por estar localizada a 30 km de Kardaha, cidade natal do presidente Bashar Al-Assad.

A região tem grande população alauíta, seita minoritária à qual ele pertence .

Um fotógrafo da Reuters que acompanhou a visita dos observadores afirmou que a cidade está praticamente deserta, com lojas abandonadas e muitos prédios destruídos.

O secretário-geral da ONU, Kofi Annan, tinha dito que entrar em Haffa era fundamental porque havia indicações de que muitos civis estavam sendo atacados.

A porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Victoria Nuland, alertou que as forças de Assad poderiam cometer um massacre no local.

Na quarta-feira, a TV estatal afirmou que as forças do regime “limparam” a região de “grupos terroristas armados”. O Exército Livre da Síria, formado por dissidentes, disse ter retirado seus combatentes de Haffa para “poupar” os moradores dos bombardeios.

Segundo o Observatório Sírio para os Direitos Humanos, órgão da oposição que tem sede em Londres, os rebeldes fugiram para os vilarejos de Zanqufa, Dafil e Bakkas.

    Leia tudo sobre: síriamundo árabeprimavera árabeassadonuhaffa

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG