TV estatal egípcia transmitirá ao vivo veredicto de julgamento de Mubarak

Egito reforça segurança para anúncio sobre futuro de ex-presidente forçado a renunciar após 18 dias de revolta popular

iG São Paulo |

A televisão estatal egípcia irá transmitir ao vivo neste sábado o veredicto do julgamento do ex-presidente Hosni Mubarak , 84 anos, uma decisão há muito aguardada e que será feita sob um forte esquema de segurança. Forçado a renunciar em fevereiro de 2011 após 18 dias de protestos populares, Mubarak é julgado desde agosto por um tribunal criado em uma academia de polícia na periferia do Cairo.

A Promotoria pediu pena de morte, mas espera-se que, em caso de condenação, a sentença seja mais branda por causa de sua idade e por causa da falta de provas incriminatórias apresentadas durante as audiências. A defesa alega a inocência de Mubarak, que poderá recorrer da decisão.

Leia também:  Egito indicia filhos de Mubarak por uso de informação privilegiada

AP
Ex-presidente egípcio Hosni Mubarak chega em uma maca a tribunal no Cairo (05/01)

A televisão estatal venderá as imagens do julgamento para meios de comunicação estrangeiros por um valor estimando entre US$ 7 e 10 mil, indicou o presidente da rádio e da televisão estatal Tharwat al-Mekki, citado pela agência de notícias oficial Mena.

As primeiras audiências do julgamento, que começou em 3 de agosto do ano passado, foram transmitidas ao vivo e assistidas por milhões de egípcios. As imagens de Mubarak deitado sobre uma maca dentro de uma cela rodaram o mundo.

Porém, o juiz Ahmed Rifaat ordenou que as câmeras saíssem da sala no momento em que as testemunhas foram chamadas a depor. Várias audiências foram fechadas para ouvir funcionários do governo egípcio, como o marechal Hussein Tantawi, que dirige o conselho militar no poder.

A segurança será reforçada para o dia do anúncio do veredicto: 5 mil policiais e 2 mil soldados serão mobilizados para garantir a proteção do tribunal para onde o Mubarak deve ser levado de helicóptero.

O ex-presidente está em prisão preventiva em um hospital militar. 

Há poucas e contraditórias informações sobre o estado de saúde de Mubarak, que já teve câncer e problemas cardíacos.

Ele foi acusado de corrupção e envolvimento na morte de mais de 800 manifestantes durante a revolta que o derrubou.

Seu ex-ministro do Interior, Habib el-Adli, e seis outros ex-funcionários da segurança também foram processados pelas mesmas razões. Seus dois filhos, Gamal e Alaa, estão em julgamento por corrupção no mesmo processo. Nesta semana, foram indiciados em outra investigação, acusados de ganhos ilegais por uso de informação privilegiada .

O veredicto deve ser anunciado em meio à campanha para o segundo turno das eleições presidenciais egípcias, marcado para 16 e 17 de junho. A histórica disputa será entre será entre o candidato da Irmandade Muçulmana, Mohammed Morsi, e o ex-premiê Ahmed Shafiq, nomeado por Mubarak nos últimos dias de seu governo.

Com AFP

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG