Menino diz ter se fingido de morto para escapar de massacre na Síria

Em vídeo, Ali al Sayed, 11 anos, conta como sobreviveu ao ataque que deixou 108 mortos no vilarejo de Houla

BBC Brasil |

selo

O menino Ali al Sayed, de 11 anos de idade, diz ter sido um dos únicos sobreviventes do massacre cometido na cidade de Houla, na Síria. O ataque em que 108 pessoas foram mortas , muitas delas crianças, vem sendo atribuído às tropas do governo da Síria e a milicianos ligados ao regime do presidente Bashar al-Assad.

Leia também:  Conselho da ONU pede investigação sobre massacre de Houla

O garoto conta ter visto soldados disparando cinco vezes contra sua mãe e, em seguida, atirando em seu irmão Nader, de 6 anos, na cabeça e nas costas. Ali conta que, após ter ficado totalmente encoberto pelo sangue do irmão, se deitou no chão e fingiu que estava morto.

Ativistas sírios estimam que um total de mil crianças já tenham sido mortas no conflito. A estimativa de grupos de direitos humanos é de que o confronto entre rebeldes e forças do governo já matou 12 mil pessoas no país.

    Leia tudo sobre: síriaassadmundo árabeprimavera árabeonumassacre de houla

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG