Irmandade Muçulmana deve disputar 2º turno de eleição presidencial egípcia

Resultado parcial indica que nova votação será entre Mohammed Morsi e ex-premiê Ahmed Shafiq, que integrou governo Mubarak

iG São Paulo |

O candidato da Irmandade Muçulmana à presidência do Egito, Mohammed Morsi, deve disputar o segundo turno das eleições com o ex-premiê Ahmed Shafiq, de acordo com o resultado parcial da apuração, divulgado nesta sexta-feira.

Ao meio-dia (horário local), a apuração tinha sido finalizada em 24 das 27 províncias do país, que representam mais da metade dos eleitores. De acordo com a comissão eleitoral, mais de 50% dos mais de 50 milhões de cidadãos aptos a votar participaram da histórica votação presidencial, a primeira plenamente democrática da história do país.

Leia também: Eleição histórica termina no Egito com tensão entre favoritos

AP
Pôsteres rasgados de Mohammed Morsi, que lidera apuração, em muro no Cairo

Morsi estava na frente com 26% dos votos, de acordo com o jornal independente Al-Masry Al-Youm, que compila os relatórios oficiais nos locais de apuração. Esse percentual deve assegurar à Irmandade Muçulmana uma vaga no segundo turno, marcado para 16 e 17 de junho. Shafiq, que serviu ao governo do ex-presidente Hosni Mubarak , estava com 23%, pouco à frente do esquerdista Hamdeen Sabahi, com 20%.

O bom desempenho de Sabahi surpreendeu pelo fato de ter ocupado um papel coadjuvante durante a campanha. “Este resultado mostra que as pessoas buscam uma terceira alternativa: não querem um Estado religioso e não querem que o regime de Mubarak volte”, afirmou o porta-voz de Sabahi, Hossam Mounis.

O principal perdedor foi o ex-ministro das Relações Exteriores Amr Moussa, que durante meses liderou várias pesquisas. O islâmico moderado Abdel-Moneim Abolfotoh também ficou abaixo das expectativas, chegando em quarto, segundo os resultados parciais.

As eleições contrapuseram islâmicos contra seculares e revolucionários contra ministros da era Mubarak, que foi forçado a renunciar em 11 de fevereiro de 2011 após 18 dias de protestos populares em meio à Primavera Árabe do norte da África e do Oriente Médio. No total, 13 candidatos concorreram.

Há informações de que Mubarak - que está sob julgamento pela acusação de que ordenou a morte de manifestantes - acompanha a votação do hospital. Espera-se que os resultados preliminares do primeiro turno sejam divulgados no fim de semana, com os resultados oficiais sendo esperados na terça.

Muitos nas ruas expressaram preocupações de que a junta militar que sucedeu a Mubarak possa desconsiderar os resultados das urnas se não gostar da escolha do país. Além disso, até que uma nova Constituição seja aprovada, não está claro quais poderes o novo presidente terá. A comissão eleitoral estimou que cerca de 50% dos 50 milhões de egípcios que podiam votar compareceram às urnas.

AP
Os dois candidatos que disputam o segundo lugar, a partir da esquerda: Ahmed Shafiq e Hamdeen Sabahi
Com AP e BBC

    Leia tudo sobre: eleição no egitomundo árabeprimavera árabeegitomubarak

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG