Homem-bomba lança ataque contra mesquita de Damasco, diz TV

Atentado suicida deixa 10 mortos e 30 feridos em arredores de local religioso de capital, em novo golpe contra plano de paz da ONU

iG São Paulo |

Um homem-bomba deixou dez mortos e 30 feridos nesta sexta-feira nos arredores de uma mesquita no centro da capital da Síria, Damasco, informou a televisão estatal síria, em mais um golpe contra o plano de paz que a ONU diz que o presidente Bashar al-Assad não honrou.

Violência: Oposição e Síria trocam acusações sobre grande explosão em Hama

AP
Investigadores sírios (D) se reúnem perto de carro policial danificado em Damasco por ataque suicida
Escalada: França cogita uso da força contra Síria

A explosão atingiu os fiéis na mesquita Zain al-Abideen, que estava sob forte esquema de segurança para as orações da sexta por ser muitas vezes ponto de partida de protestos anti-Assad, afirmaram ativistas da oposição. A mídia estatal disse que oficiais de segurança estavam entre os feridos.

"Tentávamos rezar na região, mas eles nos pararam em um posto de controle. A segurança não nos  deixava passar, porque normalmente há protestos lá ", um ativista anti-Assad disse à Reuters do Líbano.

"Então, ouvimos a explosão. Era tão alta e, em seguida, ambulâncias passaram correndo por nós ", acrescentou o ativista. "Pude ver partes de corpos e pedaços de carne na estrada. A parte dianteira de um restaurante estava destruída. As pessoas gritavam."

A televisão estatal mostrou imagens de carne enegrecida e uma mão mutilada jogada em uma passagem da autoestrada enquanto soldados e policiais tentavam abrir caminho para as equipes de resgate nas ambulâncias.

Um morador que falou com oficiais de segurança no local disse que um homem havia se aproximado de soldados perto da mesquita e detonado um cinto com bombas quando foi abordado. Não houve reivindicação imediata de responsabilidade.

Mais cedo, uma forte explosão foi ouvida no distrito al Sinaa da capital Damasco perto de uma garagem utilizada por ônibus do governo e milicianos pró-Assad encarregados de impedir manifestações.

Lojistas disseram que a primeira explosão nesse local atingiu um Mercedes, que pegou fogo, ferindo o motorista. Não há mais detalhes sobre esse ataque.

A ONU diz que a violência na Síria deixou mais de 9 mil mortos desde o início da revolta contra o regime de Assad, que já dura 13 meses. O governo sírio afirma que insurgentes mataram mais de 2,6 mil soldados e policiais.

*Com Reuters e AP

    Leia tudo sobre: síriamundo árabeprimavera árabeassadonudamascoannan

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG