Personalidades de destaque de Economia e Negócios na década

Seja com inovações tecnológicas ou consolidando áreas tradicionais, esses homens moldaram o mundo da Economia e dos negócios

Patrick Cruz e Bruna Bessi, iG São Paulo

Getty Images
Evan (à esq) e Biz: valor de mercado de US$ 1 bilhão, mesmo sem receita proporcional

Jack Dorsey, Biz Stone e Evan Williams

O Twitter, serviço de microblog lançado em 2006 e famoso por seus textos de apenas 140 caracteres, é um dos endereços mais acessados da internet mundial. No mundo dos negócios, todos também estão de olho nos passos da empresa, criada por Jack Dorsey, Biz Stone e Evan Williams. O plano de negócios do Twitter, que prevê a receita com publicidade, foi lançado apenas em abril de 2010, mas, a despeito de o faturamento ainda não estar no mesmo nível de sua popularidade, o Twitter já teria alcançado a marca de US$ 1 bilhão em valor de mercado.

Getty Images
Mittal: criação da ArcelorMittal dá origem à maior produtora de aço do mundo

Lakshmi Mittal

Lakshmi Mittal é o homem mais rico da Europa e o quinto do mundo. Porém, ele é realmente é admirado por seus pares por personificar uma profunda mudança nas feições do mercado mundial de aço. A partir de Calcutá, na Índia, sua siderúrgica, a Mittal, realizou, em pouco mais de uma década, uma série de aquisições, principalmente em países periféricos. O ápice desse movimento de consolidação ocorreu em 2006, com a união entre Mittal e Arcelor, que criou a ArcelorMittal, a maior produtora de aço do mundo.

Getty Images
Page e Brin: Google, que nasceu como buscador, não para de crescer por meio de aquisições e vale mais do que a Coca-Cola, cerca de US$ 180 bilhões

Larry Page e Sergey Brin

Em 1998, o Google era apenas mais uma entre as tantas empresas no ainda incipiente mercado das companhias pontocom. O Google sobreviveu ao estouro da bolha das empresas de tecnologia e se tornou um dos sinônimos de internet e tecnologia. Larry Page e Sergey Brin, os dois fundadores, continuam na companhia. Ao longo dos anos, ela comprou uma série de outras empresas, entre elas o YouTube, site de trocas vídeos. O valor de mercado do Google, de mais de US$ 180 bilhões, já é maior, por exemplo, que o de um ícone do capitalismo: a Coca-Cola.

Bloomberg /Getty Images
Zuckerberg: rede social com faturamento de mais de US$ 1 bilhão, aos 26 anos de idade

Mark Zuckerberg

No filme “A Rede Social”, sobre a origem do Facebook, os cartazes promocionais nos Estados Unidos já davam o tom do protagonista: “não se pode fazer 500 milhões de amigos sem fazer alguns inimigos”. Mark Zuckerberg não foi o único fundador da incensada rede social da internet, mas, como comandante da empresa, personifica tanto o sucesso de sua empreitada quanto a controvérsia de sua relação com os antigos sócios. Eleito a personalidade do ano pela revista Time, Zuckerberg está à frente de uma iniciativa que caminha para faturar mais de US$ 1 bilhão em 2010 – e ele tem apenas 26 anos.

Getty Images
Jobs: à frente do lançamento do iPod e do iPad, que fizeram a Apple superar a Microsoft em valor de mercado

Steve Jobs

Em maio, ao superar a Microsoft em valor de mercado, a Apple passou a ter um marco relevante de sua recuperação financeira – e a guinada teve forte ligação com o papel crucial de Steve Jobs. A empresa esteve perto de quebrar na década de 1990 – em 1997, a Microsoft injetou US$ 150 milhões na Apple para garantir sua sobrevida. Jobs estava fora da companhia fundada por ele, mas retornou em 1996. Ele esteve à frente de dois lançamentos que mudaram a vida da empresa: o tocador de músicas iPod, em 2001, e o telefone celular iPhone, em 2007.

Agência Estado
Bernanke: oitava pessoa mais poderosa do mundo este ano, de acordo com Forbes

Ben Bernanke

Escolhido em 2010 pela revista Forbes como a oitava pessoa mais poderosa do mundo, Bernanke é o atual presidente do Banco Central norte-americano (Federal Reserve – FED). Formado em Harvard, o economista americano assumiu o posto em fevereiro de 2006 e enfrentou o olho do furacão, com a crise financeira de 2008. Nesse processo, Bernanke quebrou as regras e injetou US$ 1,7 trilhão no mercado por meio da compra de hipotecas e títulos de bancos e empresas à beira da quebra.

Agência Estado
Com famosa reputação, Zoellick é conhecido por sua capacidade de negociar

Robert Zoellick

O atual presidente do Banco Mundial, Robert Zoellick, é conhecido por seu entusiasmo com o mercado livre e pela capacidade de negociação. Formado em Direito em Harvard, já trabalhou no departamento do Tesouro no governo de Ronald Reagan, no departamento de Estado na época de George Bush e foi o principal assessor do presidente George W. Bush em assuntos de comércio internacionais. Participou da criação da área de livre comércio na América do Norte (Nafta) e foi o responsável pelas negociações que trouxeram China e Taiwan para a Organização Mundial do Comércio. Foi considerado pelo ranking da Revista Forbes deste ano a 45ª pessoa mais poderosa do mundo.

Agência Estado
Immelt foi eleito três vezes um dos melhores CEOs do mundo pela revista Barron's

Jeffrey Robert Immelt

Eleito três vezes um dos melhores CEOs do mundo pela revista americana Barron's e 35ª pessoa mais poderosa do mundo em 2010 pela Forbes, Jeffrey Immelt é o nono presidente da General Motors (GE), desde 7 de setembro de 2001. Sob sua política de expansão, a General Electric irá investir US$ 500 milhões no Brasil para construir um novo centro de pesquisa.

Agência Estado
Bezos: mais uma vez à frente, com o lançamento do leitor de eletrônicos Kindle
Jeff Bezos

Ao apostar no comércio de livros pela internet, Jeff Bezos largou seu emprego em Wall Street e fundou em 1995 a Amazon.com. Não satisfeito com o acervo de mais de um milhão de títulos de livros, o empresário lançou em 2007 o Kindle, equipamento de leitura para os e-books da Amazon. Entretanto, foi em 2010 que surgiu o primeiro desafio ao domínio soberano de Bezos: o Ipad, o computador tablet da Apple. Para não perder o mercado conquistado, o empresário cortou o preço no varejo do Kindle e adicionou novas funcionalidades ao equipamento. As vendas do Kindle e dos e-books da Amazon neste ano ultrapassaram US$ 2,4 bilhões.

    Leia tudo sobre: ZuckerbergJobsZoellickPageMittalStoneBezos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG