Os 10 maiores crimes de 2010

Veja quais foram os principais crimes que marcaram o ano

iG São Paulo |

AE
Familiares vestem camisetas com fotos e informações dos filhos desaparecidos
Jovens mortos em Luziânia – janeiro 2010

O ano de 2010 começou com o misterioso desaparecimento de jovens na cidade de Luziânia, no interior de Goiás. O primeiro a sumir foi Diego Alves Rodrigues, 13 anos, ainda em 30 de dezembro de 2009. Depois, foram Paulo Vitor de Azevedo Lima, 16 anos (4/01); George Rabelo dos Santos, 17 anos, (12/01); Divino Luiz Lopes, 16 anos, (13/01); Flávio Augusto Fernandes, 14 anos, (18/01); Márcio Luiz Souza Lopes, 19 anos, (22/01); e Eric dos Santos, 15 anos, (20/03).

O caso ganhou repercussão nacional e a polícia recebeu criticas por instaurar o 1º inquérito somente no dia 15 de janeiro, após o 4º desaparecimento.

Os corpos dos meninos foram encontrados no dia 12 de abril em uma mata próxima à BR 040, entre os municípios de Luziânia e Cristalina. Um dia antes, foi preso o pedreiro Adimar de Jesus da Silva, que, segundo a polícia, confessou ter cometido os assassinatos. Condenado anteriormente, em 2005, a 14 anos de prisão por pedofilia, Silva foi posto no regime aberto em dezembro de 2009, contrariando laudos psiquiátricos que o descreviam como uma pessoa com características de “sadismo e perversão sexual”. Em 18 de abril, ele foi encontrado morto dentro da cela.

Saiba mais sobre o desparecimento dos jovens em Luziânia

Divulgação
Alcides Lins, que estudava biomedicina, era garoto propaganda da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
Assassinato de aluno da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) – 06/02/2010

A história de superação de Alcides Nascimento dos Lins, de 22 anos, foi interrompida de forma trágica. Morador da periferia do Recife (PE) e filho de uma catadora de lixo, Lins contrariou o destino e, em 2007, foi o primeiro colocado da rede pública no concorrido curso de biomedicina da Universidade Federal de Pernambuco (PE).

Na época, a mãe dele, Maria Luzia do Nascimento, chegou a participar de programa de TV para falar do orgulho de ver o filho entrar na universidade. Lins também estampou cartazes com propagandas da instituição.

Na madrugada do dia 6 de fevereiro, ele foi morto com dois tiros na cabeça na casa em que morava na Vila Santa Luzia, zona norte da cidade. Segundo a polícia, dois jovens, um de 16 e outro de 22, arrombaram a porta da casa de Lins atrás de um homem que acreditavam estar ali e com quem teriam contas a acertar. Como não sabia dizer o paradeiro do vizinho, ele foi morto na frente da família.

AE
Glauco Villas Boas em foto de quando estava no início da carreira
Assassinato do cartunista Glauco Villas Boas e do filho dele Raoni – 12/03/2010

O cartunista Glauco Villas Boas, de 53 anos, e o filho dele, Raoni Villas Boas, de 25 anos, foram mortos a tiros na casa em que moravam em Osasco, na Grande SP. O acusado pelo crime, o estudante universitário Carlos Eduardo Sundfeld Nunes, de 24 anos, era amigo da família e frequentador da igreja Céu de Maria, fundada por Glauco, da doutrina Santo Daime.

Segundo as investigações, Cadu, como o acusado era chamado, estava alucinado quando invadiu a casa do cartunista. Ele teria pedido que Glauco dissesse à mãe dele que ele, Cadu, era Jesus Cristo. Diante da negativa, começou uma discussão que acabou com a morte dos dois.

Cadu foi preso após três dias escondido em uma mata na fronteira do Brasil com o Paraguai. O estudante Felipe Iasi, que levou Cadu até a casa de Glauco, foi indicado como co-autor dos crimes.

Saiba mais sobre a morte de Glauco e do filho

Divulgação
Imagem de Mércia Nakashima contida em cartazes feitos pela família em busca de informações antes de saber da morte
Assassinato de Mércia Nakashima - 23/05/2010

A advogada Mércia Nakashima, de 28 anos, desapareceu no dia 23 de maio após deixar a casa da avó na cidade de Guarulhos, Grande SP. No dia 11 de junho seu corpo foi encontrado boiando na represa de Nazaré Paulista, no  interior do Estado. Um dia antes, o carro dela foi localizado no mesmo lugar.

Mércia levou um tiro no rosto, ficou inconsciente e morreu afogada ao ser jogada na represa, segundo a perícia. O policial militar Mizael Bispo de Souza, ex-namorado da vítima, é acusado pelo crime.

No dia 7 de dezembro, a Justiça determinou que ele e o vigia Evandro Bezerra da Silva, que o teria ajudado a fugir da represa, sejam levados a júri popular. O motivo do crime seria ciúmes e inconformismo com o término do relacionamento de 4 anos.

Saiba mais sobre o caso envolvendo a morte da advogada

Futura Press
Clayton Leão, de 33 anos, estava com a mulher em carro quando foi atingido por disparos
Assassinato de delegado durante entrevista a rádio – 26/04/2010

Os moradores de Camaçari, região metropolitana de Salvador (BA), ouviram pelo rádio os tiros que mataram o delegado titular da 18ª Circunscrição Policial da cidade, Clayton Leão, de 33 anos. Na ocasião, ele estava acompanhado da mulher e havia parado o carro na estrada da Cascalheira para dar entrevista ao programa de "De olho na cidade", da Rádio Líder.

Ele realizava um trabalho de enfrentamento ao tráfico e falava na rádio, justamente, sobre o trabalho da polícia, quando foi surpreendido por homens armados que chegaram atirando. Na gravação é possível ainda ouvir o delegado dizer: “Pera aí, pera aí (SIC)”, e em seguida, barulhos de tiros. A mulher dele, que não foi ferida, começa a gritar em tom de desespero.

Em maio, dois suspeitos pelo crime foram presos e alegaram, segundo a polícia, que queriam roubar o veículo, mas resolveram atirar ao perceber se tratar de um policial.

Saiba mais sobre a morte do delegado Clayton Leão

Lecticia Maggi, iG São Paulo
Alexandre dos Santos em foto da formatura. Ele deixou um filho de 3 anos
Motoboy morto por policiais em frente à mãe - 08/05/2010

O motoboy Alexandre Menezes Santos, de 25 anos, foi morto quando chegava em casa, na Cidade Ademar, periferia da zona sul paulista. Segundo a polícia, Santos havia acabado de trabalhar como entregador de pizzas, quando foi abordado por policiais. Por estar com uma moto sem placas, ele teria ignorado o alerta de parada.

O motoboy foi espancado e asfixiado em frente ao portão de casa. Ouvindo os gritos do filho, a mãe dele, Maria Aparecida Menezes, de 43 anos, tentou intervir, mas em vão. “Eu me ajoelhei, tentei pegar na mão deles (policiais) e implorava para pararem”, disse em entrevista ao iG .

Ao perder a consciência, o motoboy foi levado ao hospital pelos PMs, mas já chegou morto. A mãe comprovou com documentos que a moto era do filho e seria emplacada no dia seguinte.

Os policiais foram denunciados por homicídio triplamente qualificado - motivo torpe, meio cruel (asfixia) e recurso que impossibilitou a defesa da vítima, além de fraude processual - porque teriam simulado que Alexandre estava armado - e racismo.

Saiba mais sobre o assassinato do motoboy

AE
Goleiro Bruno Fernandes é o personagem central de um crime bárbaro envolvendo sequestro, desaparecimento e morte de sua ex-amante Eliza Samudio
Caso Bruno: desaparecimento e morte de Eliza Samudio – junho de 2010

Mistério e crueldade envolvem a morte de Eliza Samudio, ex-amante do goleiro Bruno Fernandes, do Flamengo, que tentava provar na Justiça que ele é o pai do filho que teve. De acordo com as investigações, Eliza foi sequestrada no Rio de Janeiro e levada para o sítio do atleta, em Esmeraldas (MG), em 4 junho. No local, foi mantida em cárcere privado com o filho até ser levada para ser morta, provavelmente no dia 10 do mesmo mês, na casa do ex-policial civil Marcos Aparecido dos Santos, o Bola.

No primeiro depoimento dado à polícia e que serviu de base para a acusação, o primo de Bruno, o menor J, disse que, após ser sufocada e morta, Eliza teve pedaços do corpo dados a cães da raça Rotweiller. Depois, voltou atrás em todas as informações. Nenhum resto mortal da jovem foi localizado até hoje.

O bebê dela, então com 4 meses, foi localizado em uma favela e entregue aos avós maternos. Além do menor, que segue internados na Fundação Casa – antiga Febem, outras oito pessoas – incluindo Bruno – estão presas acusadas pelo crime.

Saiba mais sobre o depoimento dado por  Bruno à Justiça

Agência O Globo
Joanna Cardoso, em foto tirada pelo celular da mãe
Morte da menina Joanna – 13/08/2010

Uma história envolvendo possível tortura por parte do próprio pai e falsidade ideológica – de um estudante que se passou por médico – acabou com a morte da menina Joanna Cardoso Marcenal Marins, de 5 anos, no Rio de Janeiro.

A Justiça determinou que a criança, alvo de disputa entre os pais, ficasse com o pai, o técnico judiciário André Rodrigues Marins por 90 dias. No dia 17 de julho, ela deu entrada no Hospital Rio Mar apresentando convulsões, marcas de queimadura e hematomas pelo corpo.

Após ser atendida por Alex Sandro da Cunha Silva - estudante do 5º ano de medicina que se passou por pediatra formado – ela foi liberada. Como estava desacordada, o pai a levou ao Hospital das Clínicas de Jacarepaguá, de onde a menina seguiu para a clínica Amiu, no dia 19 de julho. De lá, só saiu para ser enterrada. Marins foi preso no dia 25 de outubro acusado de tortura e homicídio qualificado por meio cruel. Ele nega os maus- tratos. O falso médico segue foragido.

Saiba mais sobre a prisão do pai de Joanna Cardoso

Arquivo pessoal
Filha única do casal, Roberta Tafner, de 29 anos, teria planejado com o marido, Willian Souza, a morte dos pais
Filha suspeita de mandar matar os pais em Alphaville (SP) - 02/10/2010

A advogada Roberta Tafner, de 29 anos, filha única, é acusada de ter planejado a morte dos pais, Wilson Roberto Tafner, de 68 anos, dono de uma empresa de representações, e Tereza Maria Nogueira Cobra, de 60 anos, advogada. O casal, que era separado, mas mantinha um bom relacionamento, foi atacado ao voltar para a casa, em Alphaville, bairro nobre da Grande SP, após um jantar.

O empresário recebeu dez facadas, enquanto a advogada levou 18, principalmente no rosto e cabeça. Objetos de valor, como notebook e jóias, não foram roubados, o que descarta a hipótese de latrocínio.

Segundo o delegado Zacarias Katzer Tadros, da Seccional de Carapicuíba, a motivação do crime foi passional, já que eles possuíam bens, imóveis e um seguro de vida de R$ 1 milhão que beneficiaria a filha. O marido de Roberta, William Souza, teria sido o autor dos golpes.

Saiba mais sobre o caso as investigações do caso

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=ultimosegundo%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237866343425&_c_=MiGComponente_C Jovem morre espancado por torcedores do Atlético de Minas Gerais – 27/11/2010

O estudante Otávio Fernandes, de 19 anos, torcedor do Cruzeiro, morreu após ser espancado por pelo menos oito torcedores do Atlético Mineiro na saída de uma casa de show, localizada no bairro São Pedro, em Belo Horizonte. No local, eles assistiam ao 3.º Brasil MMA Fight, um torneio de vale-tudo.

Imagens do circuito de segurança de um shopping mostram o torcedor sendo agredido com golpes de barras de ferro, placas de trânsito e chutes, principalmente na cabeça. Ele não oferece resistência e é espancado mesmo estando caído no meio da rua. O presidente da Galoucura, torcida organizada do Atlético, Roberto Augusto Pereira, é um dos suspeitos de participação no crime e se entregou à polícia após ter o pedido de prisão temporária expedido.

Saiba mais sobre a morte do torcedor

    Leia tudo sobre: maiores crimesretrospectiva 2010

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG