Rei da Espanha se recupera de operação e pode receber alta em 3 dias

Barcelona, 8 mai (EFE).- A operação à qual o rei Juan Carlos da Espanha foi submetido hoje, no Hospital Clínico de Barcelona, para a retirada de um nódulo no pulmão direito, obteve sucesso e descartou a possibilidade de que o monarca tivesse câncer.

EFE |

Barcelona, 8 mai (EFE).- A operação à qual o rei Juan Carlos da Espanha foi submetido hoje, no Hospital Clínico de Barcelona, para a retirada de um nódulo no pulmão direito, obteve sucesso e descartou a possibilidade de que o monarca tivesse câncer. Em uma coletiva de imprensa, o responsável pela operação, Laureano Molins, não escondeu sua satisfação pela "boa notícia" e disse que o rei, de 72 anos, poderia receber alta "em três ou quatro dias". "Desejo a ele uma rápida recuperação. As coisas saíram bem", disse o presidente do Governo espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero, quando soube o resultado da cirurgia, depois de uma reunião com o vice-presidente americano, Joe Biden. O médico disse que Juan Carlos não terá que passar nem por radioterapia nem por quimioterapia e que poderia recuperar as atividades "não físicas", mas oficiais, em 15 dias. O monarca passou por uma "pequena toracotomia" para retirada de um nódulo em seu pulmão direito de entre 17 e 19 milímetros, que depois de ter sido examinado, foi descartada a possibilidade de que fosse maligno. "Não é um câncer", assegurou Molins. A cirurgia começou às 9h20 locais, com anestesia geral, e terminou às 11h45. No dia 28 de abril, foi determinado que Juan Carlos passaria por uma operação, depois de um exame médico ter detectado "mudanças morfológicos" em uma calcificação em seu pulmão direito. Depois de passar por novos exames, foi comprovado que o nódulo estava em fase de crescimento e que já media entre 17 e 19 milímetros, e que, além disso, havia captação de glicose, motivo pelo qual foi determinada sua retirada, para posterior análise. "A localização da lesão e o antecedente de tabagismo" determinaram a necessidade da operação, que "foi realizada em uma data conveniente, sem pressa, mas sem pausas", afirmou o médico. Após a operação, foi feita uma análise do tumor, que descartou a presença de células cancerígenas. O doutor Molins disse que aconselhou o rei a parar de fumar, já que o tabagismo é a causa de 95% dos tumores cancerígenos nos pulmões. A rainha Sofía visitou seu marido hoje e comentou que o monarca estava "muito bem, descansando" no momento. "Estou bem, feliz, agora que tudo passou", disse Dona Sofía, após ressaltar a "saúde impressionante" de seu marido. A infanta Elena também visitou seu pai. EFE nac/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG