Queimadas são novo pretexto de disputa eleitoral no MT

Enquanto o fogo faz desabrigados, Silval Barbosa e Mauro Mendes se atacam

Kelly Martins, iG Cuiabá |

As queimadas em Mato Grosso, cada vez mais intensas nesse período de seca, viraram pretexto para ataques entre os candidatos ao governo do Estado.

Entre as causas das queimadas, Mauro Mendes (PSB) aponta a deficiência de gestão e de infraestrutura.

Marcelândia, a 710 km de Cuiabá, é o município mais atingido pelo fogo. Nas últimas 48 horas mais de 100 famílias ficaram desabrigadas e 16 empresas foram destruídas.

O candidato socialista destaca que a "história se repete há anos" e que o governo local não faz nada para resolver a questão.

Em sua defesa, o governador Silval Barbosa (PMDB) diz que sua gestão tem investido em tecnologia de gestão e sensoriamento remoto.

Para ele, a única forma de combate ao fogo é investir na Secretaria de Meio Ambiente (Sema) visando a capacitação de funcionários para acompanhar os focos de queimadas.

O orçamento de 2010 para o combate de incêndios é de R$ 2,5 milhões e foi considerado insuficiente pelo próprio governador.

Silval ressalta que o projeto com foco na proteção ambiental teve início em 2005, mas admite que a estrutura ainda é insuficiente.

Desde 2005, quando foi lançado o projeto de Combate a Incêndio, os mato-grossenses não enfrentavam uma situação tão complicada.

Este ano, são mais de 45 mil focos de queimadas detectados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), 178% a mais que no ano passado.

    Leia tudo sobre: Eleições MTELeições queimadas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG