Puccinelli e Zeca medem forças no rádio e na TV

Líderes das pesquisas, candidatos são velhos adversários políticos

Celso Bejarano iG Campo Grande |

Primeiro e segundo colocados nas pesquisas de intenção de voto, o atual governador André Puccinelli e o ex-governador Zeca do PT voltam a se enfrentar diante das câmeras.

Mas a estratégia de campanha de ambos é praticamente a mesma.

Mostrar as realizações como governador como pretexto para a apresenção de propostas para um novo mandato.

Bem diferente da estratégia do candidato Nei Braga (PSOL), que vai reerguer a bandeira do socialismo e da reforma agrária dos anos 60.

Quando se enfrentaram pela última vez, em 1996 pela Prefeitura de Campo Grande, o atual governador levou a melhor sobre o petista, vencendo o adversário por uma diferença de apenas 411 votos.

Na ocasião, Zeca questionou o resultado e ainda acusou Puccinelli de fraude. O caso parou na Justiça Eleitoral, mas nada foi provado.

As eleições de 2010 são uma nova oportunidade para o confronto entre velhos adversários possam medir forças. Mas se depender de Puccinelli, líder das pesquisas, não haverá confronto com Zeca.

O atual governador é o candidato mais rico. Ele possui um patrimônio de R$ 5,3 milhões, R$ 3 milhões a mais do que o declarado por Zeca.

Já Nei Braga, dono de uma lanchonete em Campo Grande, declarou possuir um patrimônio de R$ 150 mil.

Mas quando o assunto são os gastos de campanha, as diferenças de valores são menores.

Enquanto Puccinelli fixou um gasto máximo de R$ 20 milhões, Zeca do PT estimou despesas de até R$ 16 milhões.

Braga definiu um teto de R$ 250 mil.

Dos 18 minutos disponíveis, 11 minutos e 28 segundos serão ocupados por Puccinelli, 7 minutos pelo candidato do PT e apenas 17s54 para o concorrente do PSOL.

    Leia tudo sobre: Eleições MSEleições TV

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG