PT corteja PMDB no MS para eleger Dilma

Intenção dos petistas é atrair lideranças peemedebistas para a campanha da presidenciável

Marcello Sigwalt - iG Brasília |

Mesmo derrotado nas urnas, tanto para o governo local quanto na eleição presidencial no  Estado, o Partido dos Trabalhadores do Mato Grosso do Sul (PT-MS) ensaia uma aproximação com o PMDB visando superar a vantagem obtida por Serra sobre Dilma no primeiro turno.

Uma das estratégias para atingir esse objetivo, segundo o presidente regional do partido, Marcus Garcia, é a de firmar alianças com partidos aliados em nível nacional, mas que atuaram em lados opostos nas eleições locais.

Ao lembrar que “esta é uma nova eleição”, Garcia vem orientando os presidentes dos diretórios municipais a buscar apoio em todo leque de candidatos, eleitos ou não eleitos de partidos que pertençam à coligação nacional.

Segundo o dirigente petista, o PT já contaria com o apoio de parcela expressiva das lideranças peemedebistas sul-mato-grossenses, uma vez que a candidatura de Dilma abrange o PMDB.

Entre os ‘cabos eleitorais petistas de peso’, Garcia aponta o senador reeleito Delcídio do Amaral e o ex-governador Zeca do PT.

Na sua avaliação, “Delcídio teve votação expressiva e possui grande capacidade de articulação, enquanto Zeca é uma liderança histórica que pode agregar militantes para a causa”.

Apesar do entusiasmo petista, o principal líder do PMDB no Estado, o governador reeleito André Puccinelli não tem dado sinais de apoio explícito a Dilma, mas mantém apoio formal a Serra para o segundo turno da eleição presidencial.

    Leia tudo sobre: Eleições MSEleições PTEleições PMDB

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG